Em breve, os internautas que utilizem o YouTube para partilhar vídeos de produção própria poderão ver a sua criatividade recompensada. Chad Hurley, um dos fundadores do famoso site, afirmou que faz parte dos planos futuros da empresa dar uma recompensa monetária aos membros que publicam os seus conteúdos, uma estratégia que acredita "incentivar ao uso da plataforma online". O único requisito é que os utilizadores usem apenas material livre de direitos de autor na composição dos seus conteúdos.



Os pagamentos resultam da inclusão de publicidade nos vídeos através de um sistema a desenvolver pela empresa. De acordo com o responsável, ainda não estão estipuladas as percentagens que serão atribuídas aos utilizadores nem o prazo para o arranque do sistema.



Por acreditar que não se enquadra na filosofia do projecto, o YouTube manteve-se sempre à margem das políticas publicitárias que servem de suporte financeiro à maioria dos sites do género. Mesmo assim, a plataforma conseguiu dar uma nova dimensão ao conceito de comunidade e partilha online o que lhe valeu o interesse do Google, que em Outubro do ano passado investiu 1,28 mil milhões de euros na aquisição do site.



Durante o World Economic Forum o responsável afirmou que actualmente a plataforma dispõe de uma audiência suficientemente grande para apostar neste tipo de estratégia e salientou que esta será a única forma eficaz que existe para incentivar a produção própria como forma de crescimento, não só do site, como da criatividade dos utilizadores, sem levantar mais casos que invoquem os direitos de autor.



Desde que se tornou um dos pontos de referência dos internautas e viu o seu nome associado a um dos maiores fenómenos de crescimento online, o YouTube tem enfrentado alguns obstáculos no que diz respeito ao copyright. Vários grupos de media já se demonstraram preocupados quanto à possibilidade de perderem audiências e acusam a empresa de permitir a transmissão ilegal de conteúdos protegidos por direitos de autor.



Chad Hurley afirma que está previsto, também para breve, o lançamento de uma nova tecnologia que permita o rasteio de conteúdos de forma a descobrir os que são publicados de forma ilegal.

Notícias Relacionadas:

2007-01-05 - Tribunal renova decisão de obrigar YouTube a apagar vídeo de Daniela Cicarelli
2006-10-09 - Google pretende investir 1,6 milhões de dólares no YouTube

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.