Não é a primeira vez que acontece. Os utilizadores chineses estão, ou pelo menos estavam até há algumas horas atrás, sem acesso ao YouTube. Quando se tenta carregar a página é exibida uma mensagem de erro.

Não há ainda explicações oficiais sobre o que se pensa ter sido mais um bloqueio do Governo, imediatamente associado pela imprensa internacional à publicação recente na plataforma de vídeos pela marinha norte-americana de imagens de um incidente com um barco de guerra seu e barcos de pesca chineses.

Um porta-voz do Governo, chamado a comentar o "apagão" do YouTube sublinhou apenas que actual legislação chinesa é expressamente a favor da liberdade de expressão, embora existam limites que a distinguem das leis em vigor em países como os Estados Unidos ou o Reino Unido, exemplificou.

O mesmo responsável referiu ainda que ao contrário do que é fortemente referido a China não é contra o uso da Internet, como prova a sua comunidade de 300 milhões de utilizadores, garante.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.