Mark Zuckerberg respondia a questões na sede do Facebook, em Menlo Park, admitindo que o Facebook está a estudar a hipótese de um botão de sinal contrário ao popular "Gosto" ou "Like" na versão original.

Mesmo assim, o CEO da rede social garantiu que não será designado "Não Gosto", mesmo que sirva para mostrar uma reação negativa a uma publicação, imagem ou comentário.

"As pessoas pensam que devem clicar no botão Like e isso é uma forma de simpatizar ou criar empatia com alguém", mas em alguns casos esta não é a reação apropriada, explicou Zuckerberg durante a sessão de perguntas e respostas como referem vários meios de comunicação internacionais.

Por isso o Facebook está a considerar de que forma pode abordar a questão, tornando a sua concretização "uma força para o bem e não uma força para o mal", evitando o sentimento negativo que pode ser transformado num movimento com ligações erradas.

Esta não é a primeira vez que Zuckerberg admite a possibilidade de um botão "não gosto". Já em 2010 tinha referido a questão também em resposta a questões diretas, mas sem existir ainda uma concretização efetiva.

Ontem o CEO e fundador do Facebook admitiu ainda que a rede social quer que as pessoas usem os seus nomes reais e que o objetivo é que o site seja um reflexo das relações no mundo real, conseguindo essa ligação que é importante para a cultura do Facebook.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.