Uma empresa norte-americana descobriu como ajudar os consumidores, retalhistas e fabricantes a ultrapassarem uma das maiores barreiras à actualização de electrónicos de consumo em casa ou nas prateleiras das lojas.



Frequentemente, os utilizadores adquirem um telemóvel novo, uma impressora ou outro equipamento sem se livrarem do dispositivo antigo. O resultado é uma acumulação de equipamentos electrónicos sem utilização em casa.



Para evitar isso, a TechForward decidiu lançar o serviço Guaranteed Buyback, uma capanha de "compra de volta" para electrónicos de consumo: laptops, PCs de secretária, leitores de MP3, televisores plasma, monitores LCD, dispositivos GPS, leitores de DVD/Blu-ray e impressoras. Contudo, por enquanto, o serviço é apenas válido para iPods e laptops.



A iniciativa funciona como uma campanha de garantia alargada, ou seja, existe um preço fixo que o utilizador paga por um equipamento, ao qual acresce uma pequena taxa - no caso do iPod seria cerca de 9 euros. O utilizador paga o valor total do dispositivo e, quando quiser, pode devolvê-lo, recebendo dinheiro (BuyBack) em troca. A quantia devolvida acaba por ser tanto maior quanto menor o tempo que o utilizador teve o equipamento na sua posse. No caso do iPod, o utilizador ganharia 40 euros se o "vendesse" passado um ano ou 20 euros passados dois anos, e assim sucessivamente.



Jade Van Doren, CFO da TechForward, refere que a Guaranteed Buyback é uma estratégia válida para combater as perdas resultantes da baixa procura que se tem sentido em algumas categorias de produtos. Mesmo funcionando de forma opcional, a iniciativa parece estar a conquistar a atenção dos utilizadores, um bom indicador para o futuro do serviço.



Até aqui, os principais parceiros da iniciativa promovida pela TechForward são pequenos retalhistas que recebem uma parte da taxa inicial sobre o preço dos produtos, à qual somam os resultados dos negócios seguintes com os clientes que trocam os seus gadgets antigos.



Contudo, empresas maiores podem vir a adoptar esta estratégia. As lojas Best Buy e Wal-Mart, por exemplo, estão a planear a implementação de serviços semelhantes já no segundo trimestre.



Os retalhistas que adoptam esta estratégia fixam uma taxa de aproximadamente 12 por cento para a garantia de adopção dos produtos. O objectivo é assegurar que ao comprar de volta um produto, os preços sejam fixos. Desta forma, conseguem criar promoções melhores incentivando os consumidores à rotatividade de equipamentos.



Algumas fabricantes, como a Apple, Dell e HP, possuem os seus próprios programas de retoma de equipamento, em que os utilizadores se encarregam de enviar os dispositivos obsoletos por correio.



Geralmente, as campanhas de retoma das fabricantes têm como finalidade a reciclagem de produtos, uma actividade pouco frequente nos Estados Unidos, onde apenas 12,5 por cento dos electrónicos de consumo obsoletos são reciclados.



Notícias Relacionadas:

2007-09-04 - Recolha de lixo eléctrico e electrónico mantém-se abaixo das metas europeias

2007-01-11 - Tecnológicas preocupadas com o ambiente lançam guia myGreenElectronics.org

2006-12-29 - Número de equipamentos eléctricos e electrónicos reciclados em Portugal abaixo das exigências de Bruxelas

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.