Diz-se preparada para a anunciada retoma da economia e depois de consolidar negócio durante 2003, encara 2004 como o "ano do crescimento". No final da primeira metade deste ano, a CBE registou um aumento do seu volume de negócios na ordem dos 41 por cento face a período homólogo depois de ter terminado 2003 com 7,2 milhões de euros, segundo dados hoje divulgados, em conferência de imprensa, por Carlos Barroqueiro, administrador executivo da empresa.



O mesmo responsável prevê que a CBE termine o ano de 2004 com um crescimento de 46 por cento face aos resultados obtidos no ano passado, e que se traduzirá em aproximadamente 10,5 milhões de euros. Considerando o mercado espanhol, onde actualmente esta em fase de inicio de operações, o volume de negócios consolidado atingirá os 11,5 milhões de euros, num crescimento de 60 por cento, de acordo com as estimativas do principal accionista desta empresa nacional que actua na área da engenharia e construção de infra-estruturas e telecomunicações.



Para a consolidação do negócio registada em 2003 muito contribuiu o "tipo de obras e de clientes" em carteira. "O projecto indoor GSM/UMTS do novo Estádio da Luz para a Ericsson/Vodafone e a participação na 1ª fase de construção da rede de trunking digital com a tecnologia CDMA 459 para a Radiomóvel representaram momentos de viragem no negócio da CBE", referiu Carlos Barroqueiro.



Já durante este ano, a empresa pretende investir cerca de três milhões de euros em Portugal, e promete apostar nas parcerias estratégicas ao nível das redes móveis GSM GPRS, UMTS e CDMA e reforçar o investimento na produção e fabrico dos chamados shelters para sites GSM e UMTS, iniciada em 2002. O desenvolvimento de novos projectos indoor é outra das apostas da CBE para este ano.



Paralelamente, a CBE aguarda com expectativa o arranque das operações em Espanha, que terão sede em Madrid, para onde já alocou cerca de 30 colaboradores directos. Até ao final de 2004 a equipa espanhola da CBE deverá totalizar 70 elementos, adiantou Carlos Barroqueiro. A empresa já regista actividade no sector da rede fixa, mas ainda está em fase de acreditação para iniciar operações na área móvel, num processo que, ao que tudo indica, poderá estar concluído durante o próximo mês de Setembro.



A internacionalização da CBE passa actualmente pelo "assumir da vocação ibérica", consolidando operações, salientou Carlos Barroqueiro, adiantando contudo que a sua empresa tem vindo a analisar e a fazer prospecções de mercado na região leste da Europa, nomeadamente na Polónia, "como porta de entrada para os novos países da UE". "Mas são projectos que ainda estão a pelo menos um a dois anos de distância", referiu o responsável.



Em Portugal, a empresa conta actualmente com um total de 120 colaboradores directos e 70 indirectos e divide as suas operações entre Aveiro, Lisboa e Faro. Para breve, a CBE está a preparar a aquisição de novas instalações para a sua nova sede em Portugal, que integrará as operações agora dispersas por três escritórios em diferentes regiões de Lisboa num espaço de 5.00 metros quadrados, em Vialonga.



Notícias Relacionadas:

2003-05-06 - Resultados da CBE quebram 14% face à fraca receita da área de redes fixas

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.