O Tribunal Geral da União Europeia validou a compra do Skype pela Microsoft, depois de em maio deste ano a Cisco ter contestado o negócio alegando que a empresa responsável pelo Windows poderia criar um monopólio no segmento das comunicações digitais.

A Cisco tinha concordado com a validação do negócio pela União Europeia, mas apenas se a Microsoft estivesse disposta a aceitar alguns remédios com o objetivo de proteger a concorrência.

O tribunal europeu tomou a decisão com base na falta de argumentos apresentados pela Cisco para comprovar que o negócio iria prejudicar a concorrência nos Estados-membro. A análise dos juízes foi a de que nem o mercado de consumo nem o mercado empresarial dos serviços de videochamada sairia menos competitivo.

A Cisco contava com o apoio da operadora italiana de telecomunicações SpA. As duas empresas podem ainda recorrer ao Tribunal Europeu de Justiça, a mais alta instância a nível jurídico na Europa.

Segundo as informações da Reuters, ainda não é certo se os queixosos vão recorrer da decisão. A Cisco foi uma das empresas que tentou comprar o Skype, tendo havido relatos de que a empresa estaria disposta a pagar, em 2010, mais de cinco mil milhões de dólares.

A compra do Skype pela Microsoft, num negócio de 8,5 mil milhões de dólares, já tinha sido aprovada em 2011 pelas respetivas entidades competentes.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.