Nanotecnologia, identificação electrónica e um aumento da circulação de vírus, relacionados com o crescimento das formas de ligação à Internet são apontadas pela Deloitte como as principais tendências deste ano para o sector das tecnologias da informação.



A consultora considera que a nanotecnologia se transformará numa pedra angular de todas as actividades industriais e avança alguns usos potenciais como as nanoesferas com capacidade para levar um fármaco directamente ao seu alvo, a utilização de processos de fabrico em nano-escala para criar processadores e armazenadores mais pequenos e mais rápidos e a utilização das propriedades de nano-escala para fabricar tecidos resistentes a nódoas e que não se enrugam e vestuário que resiste a bactérias.



Já o crescimento acentuado do número de dispositivos ligados à Internet - desde PCs e telemóveis a PDAs e consolas de jogo - dará origem a um aumento de vírus electrónicos e outros ataques destruidores, diz a Deloitte. Práticas como o SPAM ou o SPIM (mensagens instantâneas não solicitadas) continuarão a proliferar, enquanto vírus, worms e malware, blue-jacking (ataques a equipamentos com tecnologia Bluetooth) e SPAM em VoIP tornar-se-ão comuns, enquanto o crescimento do uso de telemóveis, utilização remota e Wi-Fi darão aos hackers um maior acesso às redes privadas, de empresas e governamentais.



Esta tendência irá implicar que as empresas incorram em custos significativos, não só financeiros como relativamente à perda de dados e de produção. Ao mesmo tempo, será também uma fonte de oportunidades para empresas que vendem segurança na área das tecnologias e novas linhas de negócio irão surgir por parte de operadores móveis, fabricantes de telefones, operadores e integradores de sistemas, considera a Deloitte.



A identificação electrónica é outra das principais tendências apontadas nesta análise da Deloitte. A consultora avança que há entre os governos de todo o mundo uma tendência para substituir documentos de identidade em suporte de papel por produtos digitais.



Estas novas formas de identificação electrónica serão aplicadas não apenas aos bilhetes de identidade, mas também a passaportes, cartões de débito e cartões de crédito e incluirão informações como o nome do indivíduo, morada, nacionalidade, foto digital e até dados biométricos.



Apesar de todas estas medidas, a usurpação de identidade continuará a subir de modo impressionante, "particularmente no caso de pessoas e organizações que transaccionam online", refere a Deloitte que considera por isso imperativo para todas as empresas com negócios na Internet a investir na criação de metodologias mais seguras para se auto-protegerem e protegerem os seus clientes.



No seu relatório sobre a previsão de tendências para o mercado das tecnologias, a Deloitte menciona ainda que em 2005 o uso da Internet continuará a proliferar e o browser terá um papel cada vez mais importante no nosso quotidiano.



Na eminência está igualmente o surgimento das chamadas redes mesh, sem fios, que ajudarão as autoridades das grandes cidades a controlar equipamentos e bens numa vasta área.



Em comunicado, a Deloitte explica que as previsões apresentadas resultaram das contribuições da equipa do Grupo de Tecnologia, Media e Telecomunicações da própria consultora, de debates com os analistas da indústria e financeiros e da interacção com clientes do sector e outros relacionados.



Notícias Relacionadas:

2004-10-12 - Tecnologias da Informação transformam-se gradualmente em utilities

2004-02-04 - Erkki Liikanen alinha cinco grandes tendências para 2004

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.