Chama-se Disney Play e tem grandes argumentos para fazer frente ao colosso do streaming Netflix quando arrancar oficialmente no próximo ano. O serviço da Disney será uma das prioridades da gigante de entretenimento para o próximo ano, segundo declarações do seu CEO, Bob Iger, ao Variety.

Tudo indica que o modelo de negócio seja semelhante ao seu rival, com ofertas de conteúdos do seu catálogo através do pagamento de uma assinatura mensal. O sucesso da Netflix levou mesmo a Disney e a Comcast a disputarem a compra da 21st Century Fox, que acabaria por ir parar à “casa” do Mickey, devolvendo à Marvel um conjunto de licenças de super-heróis importantes como X-Men, Deadpool e Fantastic Four.

O sistema da Netflix é considerado a maior mudança económica na indústria do entretenimento em décadas, incentivando a “fome” da Disney por uma fatia desse mercado. Para começar, a Disney deixará de licenciar os seus conteúdos à Netflix, reservando-os para a sua plataforma de streaming. Atualmente, a Disney encaixa cerca de 300 milhões anuais pelos filmes recentes da Marvel e Star Wars, tais como Capitão América: Guerra Civil e Rogue One listados na Netflix. Ainda assim, séries da Marvel como Luke Cage, Dare Devil e Iron Fist continuarão na Netflix, visto serem originais do serviço, apenas foram adquiridas licenças das respetivas personagens.

tek disney

A Disney já revelou alguns trunfos para o seu serviço Play. Captain Marvel, um dos próximos filmes do Universo Cinematográfico Marvel a estrear em 2019, será o primeiro grande blockbuster da plataforma digital, assim como o novo Star Wars. E para os mais jovens, Toy Story 4, Frozen 2, Dumbo, Aladino e o Rei Leão são mais que incentivos para cativar assinantes. Se não chegar, a Disney pode sempre abrir o cofre das suas produções realizadas ao longo das décadas, sejam filmes de animação ou longas-metragens em live action. Além disso, estão na calha remakes de A Dama e o Vagabundo e A Espada Era a Lei, assim como a produção de Timmy Failure e The Paper Magician.

A promessa de uma série de televisão baseada no universo Star Wars é um assunto com muito anos, ainda com George Lucas à frente da licença, mas parece que finalmente vai avançar. A Disney quer investir 100 milhões para avançar com uma temporada de 10 episódios. À frente do projeto estará Jon Favreau, o realizador de Homem de Ferro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.