A maioria das empresas vai manter como prioritários os seus projectos de TI verde, embora os gastos com tecnologias tenham tendência a baixar face à recessão vivida em todo o mundo, indica um estudo da Gartner.

A estratégia tem por objectivo a poupança e não necessariamente a preocupação com o ambiente. Nas previsões da consultora, as empresas deverão continuar focadas em projectos que aumentem a eficiência energética e economizem gastos.

A análise foi realizada em Dezembro do ano passado, contando com a participação de 620 responsáveis empresariais, que responderam a questões sobre o desenvolvimento de projectos e sobre o impacto da crise nas iniciativas.

No total, 22 por cento dos inquiridos afirmaram ter capital reservado a "projectos verdes". Desses, mais de um terço (46% na Europa, 38% na região Ásia/Pacífico e 36% nos Estados Unidos) previam gastos acima de 15 por cento dos seus orçamentos de tecnologia em TI verde.

Na altura em que o estudo foi realizado, apenas 10 por cento (60 organizações) revelava não ter nenhum projecto de TI Verde. Com excepção da região Ásia/Pacífico, a maioria das empresas respondeu que a questão seria analisada.

O documento revelou ainda que 40 por cento das empresas nos Estados Unidos e 58 por cento na Europa pretendem lançar, futuramente, projectos nesta área, contra apenas 15 por cento dos inquiridos na região Ásia/Pacífico.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.