A edição deste ano da Comtec será totalmente preparada pela Certame, uma das organizadoras tradicionais do evento, que desde a junção da Inforpor e Expotelecom, em 2003, organiza o evento em parceria com a Expolider.



A decisão tem estritamente a ver com questões de orientação estratégica da empresa, garantiu ao TeK a sua directora geral da Expolíder, Luísa Magalhães. A responsável explicou que depois da integração da Expolider no grupo Media Capital, a empresa sofreu uma reestruturação e está hoje mais orientada para feiras ligadas às áreas de exploração das revistas do grupo, área onde a própria Expolider foi integrada.



Face a esta orientação, a Expolider cedeu este ano a sua lista de contactos e quota de exploração comercial da feira, embora mantenha com a Certame o protocolo de cooperação assinado para a realização conjunta de evento em 2003. Luísa Magalhães sublinhou, no entanto, que esta não é um decisão definitiva, razão pela qual o protocolo com a Certame se mantém.



Recorde-se que a Expolider assegurava a realização da Expotelecom, enquanto a Certame era responsável pela realização da Inforpor. Há dois anos as duas entidades decidiram juntar Inforpor e Expotelecom na expectativa de fortalecer o evento. No ano de 2004 foram adicionadas mais duas áreas ligadas à imagem digital e apresentada uma nova imagem e designação (ver notícias relacionadas).



A saída, pelo menos temporária, da Expolider da organização do evento deverá ser compensada com um reforço da parceria, também já tradicional, com a própria FIL, espaço de realização do evento.



Mudanças na Certame
Do lado da Certame há também alterações. Paula Januário, que dava rosto à organização do evento por parte da Certame desde que este novo modelo começou a ser testado em 2003, saiu da empresa e a coordenação passa agora para a responsabilidade de Rui Pinto, que também já desempenhava funções na sua organização.



Em conversa com o TeK este responsável explicou que já se iniciaram conversações não só com o parceiro estratégico (que será a FIL), mas também com algumas empresas para aperfeiçoar e limar o modelo testado no ano passado. Rui Pinto diz que a edição deste ano pretende "definir melhor áreas profissionais e públicas" e criar espaços definidos para os vários sectores expostos.



A organização pretende manter as quatro áreas juntas no ano passado, por considerar que estas estão cada vez mais interligadas, mas reconhece a importância de apresentar uma oferta diferenciada para profissionais e público em geral, mantendo a aposta num programa de conferências paralelo a pensar nos profissionais.



"Acreditamos na construção de uma única feira cada vez mais transversal a todas áreas", explica Rui Pinto acrescentando que o que é preciso é "construir um modelo que vá de encontro às necessidades do mercado e dos próprios sectores".



A Comtec 2004 atraiu 26 mil visitantes, na sua grande maioria profissionais (88 por cento). A edição ficou marcada pelas ausências de peso das empresas nos vários sectores representados. Rui Pinto diz que iniciou já conversas com alguns dos grandes ausentes para afinar o modelo do evento, que deverá ir de encontro às necessidades dos vários sectores, admitindo ainda que nas conversas mantidas é notória uma maior abertura das empresas a este tipo de investimento.



A edição 2005 da Comtec irá manter o calendário do ano anterior quer na realização do evento, quer na comunicação das primeiras novidades, o que tradicionalmente acontece em Maio.



Notícias Relacionadas:

2004-10-22 - Organização da COMTEC admite novos ajustes ao formato da feira

2004-10-19 - COMTEC arranca com ausências de peso nas telecom e tecnológicas

2004-05-21 - COMTEC sucede à feira de tecnologias Inforpor/Expotelecom

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.