A implementação do "primeiro sistema mundial de energia híbrida" está a ser feita e o objetivo é que 65 % da energia consumida na ilha Graciosa, que tem pouco mais de 60 quilómetros quadrados e cerca de 4.000 habitantes, tenha origem em fontes renováveis.

Menos de seis meses de ter arrancado, a Graciólica "tem o prazer de anunciar que a sua instalação de energia de micro redes conseguiu fornecer 100% de energia renovável para a ilha da Graciosa, 15 minutos após ter concluído o sistema operacional, como parte dos testes finais de comissionamento", afirmou fonte oficial da empresa ao Jornal de Negócios.

O projeto envolve um investimento na ordem dos 26 milhões de euros, em que 4,5 milhões são fundos comunitários, e prevê a criação de um parque eólico com capacidade para produzir 4,5 MW e um parque fotovoltaico com 1 MW por via de uma central de baterias para o armazenamento de energia produzida de 3,2 MW.

A licença de produção foi atribuída à empresa controlada pela dinamarquesa Recharge que, com os testes superados, anunciou que vai começar a injetar energia na rede da EDA - Energia dos Açores (EDA).

"A Graciólica fornecerá 100% de energia limpa nas condições certas, além de fornecer serviços de formação de redes totalmente automatizados para a EDA", afirmou Dom Hughes, director da Graciólica, citado pelo Negócios .

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.