O Linux estabeleceu já uma posição "credível" no segmento de servidos e mantém altos níveis de utilização nos segmentos técnicos, conclui um estudo da IDC para Portugal, divulgado recentemente.



De acordo com este documento, é notório um "desenvolvimento contínuo ao nível da infra-estrutura", com o objectivo de "suportar um maior número de aplicações", isto embora as plataformas abertas se defrontem com uma base instalada maioritariamente Microsoft que se posiciona como entrave ao desenvolvimento.



O estudo refere ainda que, em termos gerais, o Linux se posiciona hoje como a alternativa ao modelo tradicional de aquisição de software, embora com diferentes níveis de desenvolvimento ao nível do servidor e do desktop.



No desktop, o estudo identifica como principais drivers de crescimento o apoio dos governos, sensibilidade ao preço, modelo de licenciamento das plataformas Microsoft e as preocupações com a segurança que estas suscitam, factores que se juntam à percepção de um Custo Total de Aquisição (CTA) mais baixo no Linux.



Ainda no segmento desktop, o estudo aponta como principais constrangimentos para o crescimento do Linux - além da base instalada Windows - a experiência e preferência do utilizador, questões de direito de autor e normalização.



Entre os números disponíveis verifica-se que no sector financeiro a utilização do Windows no desktop toca os 100 por cento, enquanto o Linux é usado apenas por 20 por cento. Na Administração Pública, o Windows atinge os mesmos níveis, enquanto o Linux sobe aos 50 por cento. Apenas na indústria as duas tecnologias têm níveis de utilização mais equilibrados.



Ao nível dos servidores, nos principais drivers de crescimento do Linux volta a referir-se a acção governamental, percepção relativamente ao CTA, o descontentamento com as regras de mercado da Microsoft e as preocupações com as questões de segurança das plataformas fechadas. Entre os principais impedimentos contam-se a falta de aplicações compatíveis com Linux, experiência técnica ao nível dos recursos humanos e suporte por parte de fabricantes e ISVs.



Notícias Relacionadas:

2004-12-14 - Estudo de segurança atribui melhores resultados a Linux face aos sistemas proprietários

2004-04-06 - Estudo do Yankee Group diz que Linux não é ainda alternativa a Windows

2003-01-25 - Empresas afirmam que Linux poupa despesas e aumenta vendas

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.