Tendo como objectivo estabelecer-se como entidade de referência na segurança das relações e transacções electrónicas, a Multicert foi ontem à tarde apresentada oficialmente em Lisboa, no Lisbon Welcome Center. Esta empresa de certificados digital foi sendo desenvolvida nos últimos meses pela SIBS, tendo a sua tecnologia sido aplicada no âmbito do sistema de pagamentos online MBnet criado por essa entidade e pela Unicre, a nível de B2C - Business-to-Consumer, comércio a retalho para o consumidor - e B2B - Business-to-Business, comércio entre empresas.



Ao longo deste tempo, o projecto conseguiu obter a participação dos CTT, da PT Prime - subsidiária do Grupo Portugal Telecom para as comunicações empresariais - e da Imprensa Nacional - Casa da Moeda. Desta forma, a Multicert é detida exclusivamente por capitais portugueses, cabendo à SIBS uma quota accionista de 40 por cento, detendo cada um dos outros três parceiros um lote de acções no valor de 20 por cento do total.



Actualmente, o capital social da Multicert é de 2,25 milhões de euros (cerca de 450 mil contos). Segundo Francisco Velez Roxo, presidente da nova entidade, a visão de negócio da Multicert irá centrar-se no objectivo de "liderar o negócio da certificação electrónica em Portugal", tornando-se desta forma na principal referência no domínio das relações e transacções electrónicas seguras, actuando como uma "companhia de soluções tecnológicas e de serviços de certificação electrónica".



Em termos de posicionamento estratégico, a Multicert pretende assumir-se como uma autoridade no âmbito do seu negócio de actividade, assegurar a cobertura nacional em termos geográficos e sectoriais, tudo isto mediante o cumprimento da legislação nacional relativa a certificados e assinaturas digitais.



Velez Roxo explicou ainda que a nova companhia pretende atingir sobretudo as áreas em que se realizam frequentemente transacções electrónicas que exigem um elevado nível de segurança, como é o caso do sector financeiro, das comunicações, a administração pública e os serviços de distribuição, saúde e transportes.



Mas a Multicert não pretende apenas actuar enquanto autoridade de certificação, através da comercialização e gestão de cerificados digitais, mas desempenhar também as funções de especialista em sistemas de certificação e em integração de serviços de e-business.



Em termos técnicos, a nova entidade pretende fornecer uma infra-estrutura completa, através da emissão de certificados digitais qualificados internacionalmente pelo consórcio europeu Global Thrust Authority (GTA) e pela Identrus bem como a nível interno, enquanto ainda não é iniciado o processo de credenciação das entidades certificadoras em Portugal pelo Instituto das Tecnologias de Informação na Justiça (ITIJ).



A Multicert compromete-se também a prestar valores de serviço acrescentado, como a validação de certificados e a atribuição de selos temporais. Para além do MBnet, a nova empresa desenvolveu já algumas soluções para o Banco Best, Instituto de Informática e para a Imprensa Nacional - Casa da Moeda, a nível da emissão de certificados digitais, validação e integração das assinaturas digitais que constam dos documentos electrónicos noutras aplicações.


Notícias Relacionadas:

2001-09-24 - Phibernet continua a contestar MBNet

2001-09-20 - SIBS e Unicre juntas no MBNet

Entrevista: "Nunca esteve em causa a segurança dos dados no MBNet"

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.