A Nokia terminou o último trimestre fiscal de 2012 de forma positiva ao registar lucros de 439 milhões de euros, quando em igual período de 2011 tinha registado perdas de quase mil milhões de euros.

No último trimestre as receitas totalizaram 8,04 mil milhões de euros, num decréscimo de 20% relativamente ao ano anterior. As receitas líquidas da empresa cresceram 22% relativamente ao terceiro trimestre de 2012, para os 4,36 mil milhões de euros, mas este valor representa uma queda de 22% relativamente ao último trimestre de 2011.

Os resultados positivos foram impulsionados sobretudo pela divisão Nokia Siemens Networks - que apresentou receitas de quase 4 mil milhões de euros para um total de 251 milhões de euros em lucros - e pela divisão de Dispositivos e Serviços que conseguiu alavancar receitas de 3,85 milhões de euros e lucros de 276 milhões de euros.

Dentro da divisão dos telemóveis houve uma contribuição generosa da nova geração da linha Lumia que conseguiu aumentar o preço médio de venda (ASP) dos dispositivos em 32 euros, para os 192 euros. Este fator justifica também porque é que vendendo menos smartphones, queda de 66% relativamente ao último trimestre de 2011, a Nokia conseguiu registar lucros nesta área.

Tal como já tinha sido anunciado numa avaliação preliminar, foram vendidos 4,4 milhões de smartphones da linha Lumia.

"Estamos entusiasmados que a execução da estratégia de negócio da nossa equipa tenha começado a traduzir-se em resultados financeiros. Mais notavelmente estamos satisfeitos que o grupo Nokia tenha atingido lucros operativos subjacentes no quarto trimestre de 2012", comentou em comunicado o diretor executivo da marca nórdica, Stephen Elop.

Segundo relata a Reuters os resultados da empresa finlandesa ultrapassaram as expectativas dos analistas, dando agora alguma margem de manobra à empresa de Espoo. Talvez com base nestes relatos e nos resultados do quarto trimestre, a Nokia decidiu pela primeira vez nos últimos 20 anos não pagar dividendos aos acionistas de maneira a reforçar a liquidez da empresa depois de vários trimestres marcados por perdas financeiras.

A empresa segue a perder 4% na bolsa de valores.

Um ano negro que acabou em crescimento

A Nokia revelou também os resultados financeiros relativos a todo o ano de 2012. Apesar das receitas de 30,17 mil milhões de euros a empresa acabou por perder 2,3 mil milhões de euros ao longo dos doze meses. Foi o segundo ano consecutivo de perdas para a fabricante finlandesa depois de ter perdido mais mil milhões de euros em 2011.

Ao todo a empresa vendeu 335 milhões de dispositivos móveis, menos 20% do que em 2011. A perda maior deu-se na categoria dos smartphones onde as quebras da empresa nórdica ultrapassaram os 50% no espaço de um ano, para as 35 milhões de unidades vendidas.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.