Arrancou hoje mais uma edição da CeBIT, depois da inauguração oficial ontem pela chefe do governo alemão e Arnold Schwarzenegger, governador do Estado da Califórnia. A feira alemã das Tecnologias da Informação é o evento mais importante do mundo nesta área e uma montra da qual qualquer empresa com ambições internacionais quer tirar partido. Nesta edição 2009 receberá 4.300 expositores de 69 países, um número que fica bem abaixo das 6 mil presenças do ano passado e que confirma o impacto da crise nas TI e na capacidade de investimento das empresas, menos disponíveis para esta edição que tem como parceiro o Estado americano da Califórnia e temas centrais o Green IT e a Webciety, um conceito que pretende reflectir as marcas de uma sociedade moldada pelos desenvolvimentos em torno da World Wide Web.




Dos espaços de exposição reservados oito são de empresas portuguesas que vão a Hannover mostrar tecnologia lusa e procurar novas oportunidades para dar conhecer os seus produtos e encontrar parceiros de negócios. A iPortalMais é uma das presenças deste ano que mais tem repetido a receita. Raul Oliveira explica que a empresa o faz desde 2006 por não ter dúvidas que esta é uma "montra tecnológica por excelência para mostrar as nossas tecnologias ao mundo". "É a feira de mais largo espectro e de dimensão mundial", acrescenta o director-geral. É certo que os negócios podem não acontecer durante a feira, mas os contactos que aí se amealham e a possibilidade de mostrar ao mundo que a empresa está "a sério" no mercado, com estabilidade e solidez, compensam a espera para tornar contactos em oportunidades reais de negócio. "Eu diria que o incremento de vendas em Portugal, como resultado da presença na Cebit, tem pago desde logo a presença na exposição. Depois, as vendas internacionais sempre cresceram de ano para ano, e a presença na CeBIT tem uma grande responsabilidade no crescimento destas vendas".




Ao longo dos últimos anos a iPortalMais tem focado a aposta na feira na mostra dos produtos IPBrick. Este ano mostra pela primeira vez a sua solução de gestão documental demonstrando as capacidades de integração desta com as soluções de comunicações unificadas.
"Vamos mostrar uma integração de IPBrick.GT (Central de comunicações Unificadas) com o iPortalDoc. Esta integração torna a IPBrick.GT na primeira central de Comunicações Unificadas do mundo a permitir gravar todas as formas de comunicação no seu Gestor Documental. Assim, quando se activa a gravação de chamadas na IPBrick.GT, estas ficam de imediato guardadas no Gestor Documental e devidamente classificadas e associadas à entidade que fez a chamada de voz, o mesmo acontecendo para os faxes, mails e conversas instantâneas", explica Raul Oliveira.




Mas quando se fala em tradição na CeBIT é importante não esquecer a Inosat, que repete pela sexta vez a presença na feira. Nesta edição 2009 volta a mostrar a solução principal do seu portfólio, o InoFrota, mais duas novidades: o MyLocator e o MyCar. O MyLocator é a grande novidade e é um localizador de objectos que a empresa se prepara para começar agora a comercializar. Como explicou ao TeK David Pinheiro, gestor de produto para a área do consumo, o objectivo da participação é angariar novos clientes para as soluções e parceiros de distribuição para a solução empresarial de gestão de frotas, o InoFrota. Os resultados das participações anteriores têm sido positivos para a empresa, que este ano duplica o espaço de exposição e com isso espera também duplicar o número de contactos que tratará para Portugal. Em 2008 conseguiu 300.



A NewVision é outra repetente em Hannover. Este ano mostra um novo conceito CIM (Customer Interaction Management), que exemplifica numa ATM da Wincor-Nixdorf. O CIM é uma forma de potenciar o cross-selling de produtos com campanhas direccionadas aos clientes de um determinado espaço comercial. As campanhas por ali veiculadas podem ser geridas em tempo real e usar informação armazenada em bases de dados sobre o perfil dos clientes. Tira partido de elementos interactivos como o corporate TV e os quiosques. A empresa também aproveita a presença em Hannover para mostrar novidades na área self-service e das soluções para gestão de filas de espera, como explica Sónia Pina, directora de marketing, para quem a CeBIT se tem relevado uma excelente plataforma de consolidação da relação com clientes que a empresa já tem, para além de facilitar a apresentação a potenciais novos clientes.



A Digidelta vai para a Alemanha com a convicção que são os momentos de crise aqueles em que as empresas devem redobrar os esforços para mostrar a sua solidez. "Não podemos esquecer que em todas as situações, sejam elas quais forem, existe sempre uma boa oportunidade à espreita, e nós nunca a desistimos de a encontrar, agarrar e realizar", diz Bruno Rosa, product manager da linha NetScreen, a aposta que a empresa leva à feira. A tecnologia LED é o ponto forte da empresa na gama de produtos que podem ser uma alternativa para espaços indoor ou outdoor e para os quais a empresa vai procurar revendedores, agentes e parceiros.



É um espírito idêntico o que leva a New Tech Miranda&Serra à feira. A empresa quer explorar novas oportunidades de negócio que lhe permitam acelerar o processo de internacionalização dos produtos comercializados através da unidade de negócio New-Tech, soluções de POS. Os mercados lusófonos são o principal objectivo da estadia na CeBIT, explicou ao TeK Carina Serra, responsável de marketing da empresa.




Outra das presenças lusas é assegurada pela Nonius. A empresa vai mostrar uma solução de entretenimento e multimédia dirigida ao mercado hoteleiro e hospitalar. Designa-se NiVo e suporta serviços interactivos, funcionalidades VOD, serviços de informação publica, IPTV, etc. Já o SABRE é uma ferramenta para supervisão de chamadas VoIP numa rede. A empresa dirige a solução a hotéis, campos universitários, parques empresariais ou empresas com várias localizações. É a segunda vez que a Nonius está na CeBIT e como explica Marisa Pires, do departamento de marketing, acontece porque a "presença em 2008 foi um passo muito importante para a internacionalização. Sendo a CeBIT a mais importante feira mundial deste sector, através desta participação a Nonius conseguiu uma enorme projecção". A empresa garantiu contactos que ainda se mantêm e uma parceria de negócio que permitiu a entrada num novo mercado internacional.




Edigma e NDrive completam o leque de presenças nacionais em Hannover este ano, com expositor próprio. Miguel Oliveira, CEO da Edigma, justifica com a dimensão global que a empresa já conseguiu a necessidade de marcar presença nesta montra mundial da tecnologia. O responsável defende ainda que, tal como para mostrar produtos, a CeBIT é o palco ideal para mostrar a existência de uma equipa da investigação por trás da empresa, com responsabilidade no desenvolvimento dos seus produtos e tecnologias. Este, garante, é um factor diferenciador e credibilizador para mercado.




Nesta passagem pela Alemanha a Edigma vai mostrar a versão mais recente do seu DISPLAX MOOVIT, que na versão original era designado por Displax Interactive Floor. Esta versão melhorada passa a permitir a integração de conteúdos vídeo com os efeitos e para o efeito multi-layer, oferecendo assim a possibilidade de usar vários efeitos em simultâneo. A empresa vai também mostrar um directório interactivo pensado para grandes espaços/áreas públicas, como museus, hospitais, centros comerciais ou escritórios, recentemente lançado em Las Vegas e que já tem como cliente o Inter Ikea Centre Group e um protótipo de tecnologia desenvolvido no âmbito da Optimus Concept Store.




A NDrive, que desenvolve o software de navegação com o mesmo nome, vai dizer a quem passar no seu expositor da CeBIT que os mapas que suportam os seus produtos já oferecem cobertura para a América do Norte e Oceânia. Este é um sinal do alargamento da região de operação da empresa portuguesa e também implica a extensão da rede de distribuição. João Neto, presidente da empresa, revela ainda que a NDrive continua a atenta ao mercado móvel e às mais recentes tendências na área dos ecrãs de toque. Isso mostra a opção de levar a Hannover novos reference design (esquema electrónica) de PNDs para licenciar a clientes e fabricantes de telemóveis, onde se incluem as novas linhas Ultra-Slim NDrive Touch e NDrive Touch XL. A empresa mostra ainda a sua visão sobre a evolução de sistemas de navegação no sector mobile, com novas funcionalidades para telemóveis.




A NDrive já marcou presença em Barcelona, no Mobile World Congress e viaja agora para a Alemanha com o mesmo objectivo: tirar partido daquilo que considera serem "enormes oportunidades" do sector onde se movimento e onde o mercado tem crescido significativamente.




Como o Tek escreveu ontem, além das oito empresas que marcam lugar na CeBIT com expositor próprio há mais portugueses na Alemanha à procura de novas oportunidades de negócio até ao próximo Domingo. O Brokerage event deste ano conta com 17 empresas, 16 das quais sem expositor próprio na feira. A estas soma-se ainda a EBC que está em Hannover com a Digitus. A importadora e distribuidora de produtos de convergência IP, periféricos e acessórios de informática partilha o espaço onde a Digitus vai mostrar novos equipamentos que resultam da fusão entre o entretenimento doméstico e a tecnologia de networking profissional. Um exemplo será o primeiro cabo com o novo standard USB 3.0 é apenas uma das inovações da marca neste certame.

Cristina A. Ferreira

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.