O outsourcing tem vindo a ganhar peso na estratégia de gestão das empresas, revela um estudo da Cap Gemini Ernst & Young, realizado em parceria com a IDC.



Entre os inquiridos nesta pesquisa, 88 por cento afirma ter recorrido ao outsourcing para colmatar certas funções-chave de negócio ou de Tecnologias da Informação (TI) nos últimos cinco anos e 80 por cento mostra intenção de manter ou aumentar o capital afecto a despesas nesta área durante os próximos três anos.



O estudo conclui que o recurso ao chamado transformational outsourcing permite às empresas tornarem a sua estrutura mais flexível, e portanto mais adequada às necessidades do mercado, além de garantir um maior enfoque no respectivo core business.



Entre as empresas com elevados níveis de outsourcing, 67 por cento consideram que os sectores em que actuam são altamente voláteis e logo gastam em média o dobro das outras empresas. Quarenta e dois por cento investiram mais em outsourcing nos últimos cinco anos, sendo que 60 por cento o fizeram para se concentrar no seu core business e 45 por cento para se tornarem mais flexíveis e responder às mudanças do mercado.



Segundo os resultados do mesmo estudo, 79 por cento dos inquiridos declararam que o outsourcing é a solução para transformar o negócio. O peso do outsourcing na estratégia das empresas varia conforme a volatilidade do mercado em que estão enquadradas, sendo esta excepcional em sectores como os serviços financeiros, energia & utilities e telecomunicações. A Cap Gemini Ernst & Young indica que muitos dos pioneiros em estratégia de transformational outsourcing vêm destes sectores.



O inquérito revelou que as áreas mais sujeitas a outsourcing são as aplicações (53%), as infra-estruturas (48%), o processamento de salários (38%), o service desk de TI (35%), e a logística (25%). Vinte e dois por cento dos inquiridos afirmaram fazer outsourcing de todos os requisitos tecnológicos da empresa.

Os resultados do estudo indiciam ainda que a redução de custos não é o único, nem o mais importante requisito dos gestores quando confrontados com uma proposta de outsourcing. Na realidade, o enfoque no core business é a primeira prioridade.



Ainda que o outsourcing de tecnologias da informação seja o segmento mais importante, o outsourcing de processos de negócio (BPO - Business Processs Outsourcing) tem o crescimento mais acentuado.



O estudo foi solicitado pela Cap Gemini Ernst & Young à IDC que realizou entrevistas com 65 executivos de topo de empresas na Europa e América do Norte com mais de mil milhões de dólares de receitas, protagonistas nos principais sectores de actividade.



Notícias Relacionadas:
2002-04-18 - Tecnidata BC cria divisão autónoma de Outsourcing

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.