A Sony apresentou hoje oficialmente as previsões para o ano fiscal em curso, iniciado a 1 de Abril. Os lucros esperados foram revistos em baixa, situando-se agora nos 80 mil milhões de ienes (697 milhões de euros) - abaixo da fasquia dos 115 mil milhões de ienes (mil milhões de euros) que representava a média das previsões dos analistas contactados, por exemplo, pela Bloomberg.

Os ataques aos sistemas informáticos da empresa, com o consequente encerramento temporário dos serviços online de suporte a consolas e conteúdos multimédia, e o violento sismo e tsunami que prejudicaram a produção nas fábricas da gigante japonesa foram apontados como duas das principais causas para as novas estimativas - que a empresa confirmou hoje, depois dos resultados preliminares avançados na segunda-feira.

Os custos associados aos ataques informáticos estão agora avaliados em 14 mil milhões de ienes (122 milhões de euros), reflectindo-se nos resultados da empresa, que prevê um aumento das perdas líquidas para os 260 mil milhões de ienes (2,27 mil milhões de euros). Mesmo esperando um aumento de 4,4 por cento no valor das vendas, que deverão atingir os 7,5 biliões de ienes (65,36 mil milhões de euros) até ao final do ano fiscal.

Os lucros operacionais deverão manter-se nos 200 mil milhões de ienes (1,74 mil milhões de euros), apresentando, por isso, pouca variação face ao ano que terminou a 31 de Março, quando registava 255,8 mil milhões de ienes (2,23 mil milhões de euros). Na mesma altura, as vendas situavam-se nos 7,24 mil milhões de ienes (63 mil milhões de euros).

O número de televisões vendidas este ano pela fabricante - uma área que luta para rentabilizar - deverá situar-se nos 27 milhões de unidades, mais 4,6 milhões de equipamentos que um anos antes, em que comercializou 22,4 milhões de unidades.

Os lucros na área de negócio de dispositivos, consumo e empresas, onde se incluem os LCDs, TVs, máquinas fotográficas e semicondutores, deverão crescer, ajudados pela redução de custos e aumento de vendas de televisores, estima a empresa.

Também no que respeita às consolas de entretenimento doméstico são esperadas vendas acima das registadas um ano antes. Quinze milhões de PlayStation 3, é quanto a Sony espera vender entre 1 de Abril de 2011 e 31 de Março de 2012. No período homólogo vendeu 14,3 milhões de unidades.

Entre as consolas portáteis é esperada uma quebra, de oito milhões de unidades comercializadas o ano passado, para seis milhões este ano fiscal, e para o mercado de videojogos estimam-se resultados semelhantes aos conseguidos em período homólogo: 211 milhões de unidades.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.