A criptomoeda Bitcoin disparou para valores máximos, tendo valorizado cerca de 70% desde o início de maio, numa duplicação de valor em apenas dois meses. É um registo mais elevado desde junho de 2018 e a sua valorização tem vindo a beneficiar do interesse de grandes investidores institucionais.

No entanto, os analistas estão na defensiva, pedindo prudência na valorização da moeda virtual, pois acreditam que se trata de um caso de sobrevalorização, avança o Negócios. Os analistas da JPMorgan Chase anotaram que o preço da Bitcoin já terá ultrapassado o seu valor intrínseco. Outros especialistas alertam que o ponto de viragem na negociação da criptomoeda poderá estar muito próximo.

O Bitcoin estará a valer 8.732,87 dólares, numa valorização de 7,65%, correspondendo ao valor mais elevado desde o ano passado. A criptomoeda chegou mesmo a aumentar 10% esta manhã, levando também a Litcoin a valorizar 9% e o Ether 6%. No final de março, a Bitcoin valia menos de metade, na ordem dos 4.000 dólares.

O disparo do valor da moeda tem a ver com o interesse de instituições de investimento como a Fidelity Investments, que vai permitir a compra e venda de criptomoedas pelos seus clientes. A operadora de telecomunicações AT&T revelou que vai permitir os seus utilizadores processem pagamentos online através de BitPay.

O valor mais alto da Bitcoin foi em 2017 quando a moeda virtual chegou a ser negociada a 19 mil dólares.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.