Um relatório publicado pela ABI Research mostra que as primeiras redes WiMax vão sofrer de sérias vulnerabilidades no que diz respeito ao seu funcionamento, o que poderá funcionar como uma fonte de lucros para os fornecedores da tecnologia. Os investigadores analisaram os principais riscos, os beneficiários e as medidas que podem ajudar a contornar os potenciais problemas.



De acordo com a análise publicada, as falhas detectadas vão prender-se na sua maioria com três categorias, designadamente, terminais usados pelos utilizadores, intrusões e serviços de ligação à rede.



No primeiro caso a ABI Research defende que os terminais utilizados deverão ver acelerados os processos de encriptação de forma a responder às necessidades da tecnologia. Os meios de protecção às intrusões serão, segundo a consultora, um dos factores lucrativos para os vendedores que começarão a optar por incluir ferramentas de detecção no software e hardware utilizado.



No que diz respeito aos serviços de acesso à rede o relatório diz que será necessária a aplicação de firewalls seguras e a implementação de servidores adicionais que permitam uma resposta eficaz às exigências de tráfego WiMax.



À excepção de algumas empresas, como a Motorola, Nortel e Alcatel, serão poucos os grandes fornecedores da tecnologia que saberão contornar as falhas, diz a ABI Research afirmando que "a falta de suporte deixa uma porta aberta para desenvolvimento de soluções por parte de grupos mais pequenos de especialistas", o que lhes permitirá aumentar os lucros.

Notícias Relacionadas:

2006-10-16 - Nokia aposta em telemóveis com tecnologia WiMAX para 2008

2006-08-19 - Cidade britânica pode tornar-se a primeira no mundo com cobertura WiMax

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.