A cidade do Porto é a quinta onde a britânica Yieldify abre escritórios. Por cá vai estar sobretudo focada na investigação e desenvolvimento, para melhorar o produto que ajuda as empresas a garantirem que quem passa pelo seu site não sai sem comprar.

 

Até final do ano tem planos para contratar 40 engenheiros e designers, uma tarefa que pode ter as suas dificuldades, mas que Miguel Castro, vice-presidente de engenharia da startup e responsável pela operação local, vê com otimismo. Garante que a Yieldify tem os seus trunfos para atrair talento.  

 

TeK: O Porto é a quinta cidade escolhida pela Yieldify para expandir as suas operações. Que argumentos pesaram na vossa decisão de investir em Portugal?
Miguel Castro: De todas as possibilidades analisadas, o Porto foi sem margem para dúvida a melhor opção para a Yieldify expandir a equipa de investigação e desenvolvimento. Portugal tem excelentes engenheiros informáticos e também excelentes universidades a participar ativamente na definição do futuro das tecnologias. A cidade respira inovação e sente-se o espírito dinâmico dos jovens recém-licenciados. Existe também uma grande força de trabalho sénior que procura conforto e não se mostra disponível para oportunidades fora do país. Se ainda assim houvesse dúvidas, estarmos no mesmo fuso horário foi a cereja no topo do bolo.

 

TeK: Em Portugal fala-se com frequência na dificuldade em encontrar recursos humanos qualificados na área da engenharia (a procura é superior à oferta). Estão a sentir essa dificuldade?
Miguel Castro: Não posso dizer que seja fácil quando procuramos criar uma equipa de excelência, mas temos desafios nas áreas de predictive marketing, exit intent tracking, data science e advanced analytics. Esses desafios são fatores importantes na atração dos melhores talentos.
Prestamos muita atenção ao nosso processo de recrutamento e estamos continuamente a afiná-lo para sermos ágeis e diminuir as barreiras à entrad,a que normalmente desmotiva os melhores profissionais. Depois do processo inicial é vital reter os talentos, criando as condições necessárias para se sentirem integrados e reconhecidos pelo seu valor. Quando criamos o ambiente certo, tudo se torna mágico. O resultado são equipas excecionais, capazes de resolver qualquer desafio que encontrem pela frente de forma brilhante.

TeK: Já têm clientes em Portugal?
Miguel Castro: Temos clientes ativos em praticamente todos os continentes, aqui ao lado em Espanha e no Brasil, mas ainda nenhum em Portugal.

TeK: Esperam vir a ter graças à presença local?
Miguel Castro: Apesar de no imediato o foco principal na nossa presença em Portugal ser na investigação e desenvolvimento, estamos bastante entusiasmados com o mercado nacional. Já fomos abordados por várias grandes marcas portuguesas interessadas nos nossos serviços. O facto de a nossa solução reagir ao comportamento dos utilizadores que visitam os sites dos nossos clientes e interagir com eles de uma forma personalizada, que reduz o abandono e aumenta as conversões está a atrair as atenções.

TeK: O nosso mercado é fortemente dominado por empresas de pequena dimensão. A vossa oferta também se adequa a empresas com estas características?
Miguel Castro: Sim, a nossa tecnologia funciona a qualquer escala independentemente do volume de negócios ou dimensão da empresa. Acima de tudo disponibilizamos aos marketers ferramentas que os tornam capazes de prever e adaptar as suas ações de acordo com a intenção dos visitantes dos seus websites, e isto em todo o espectro de dispositivos web.
Nós conseguimos antecipar a intenção de um visitante em abandonar o website sem finalizar a compra e apresentar uma mensagem adaptada ao seu perfil e comportamento no website. Regra geral, este tipo de tecnologia está apenas ao alcance de grandes empresas. Nós queremos alterar isso.

TeK: A área do marketing preditivo está em forte expansão. Muitas empresas tentam posicionar-se aí. Que principais fatores diferenciadores há na vossa tecnologia?
Miguel Castro: Durante os últimos anos, todos se têm perguntado, “como consigo visitas no meu site?” O que a Yieldify está agora a perguntar é, o que fazer com as visitas quando as conseguimos?
Com o tempo médio de atenção do utilizador a diminuir, uma das razões pelas quais as marcas recorrem à Yieldify é o facto de terem de se esforçar cada vez mais para manter envolvidos os seus clientes mais valiosos.
Nós prestamos um serviço totalmente gerido, desde design até data science. Isto permite aos nossos clientes abstraírem-se dos detalhes e concentrarem-se nos resultados.
Um fator muito importante de referir é que os nossos clientes só pagam quando o serviço dá resultados, por isso estamos constantemente a avaliar e a garantir que estamos a utilizar o nosso conhecimento e experiência para inovar nas nossas campanhas.

 

 

 

Cristina A. Ferreira

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.