Por Daniel Cruz (*)

[caption]Daniel Cruz[/caption] A espectativa face a 2014 é grande, até porque se avizinha um ano revolucionário e de viragem em muitos aspectos. Será assim também na área das Tecnologias?

Apesar de estarmos ainda no início do ano, podemos já prever algumas coisas. Por exemplo, a reticência em mudar as TI para a Cloud será ultrapassada à medida que as organizações forem reconhecendo que os modelos de cloud híbrida são necessárias para suportar o seu portfólio de aplicações.

Conseguimos também antever que o Mercado de Flash observará um grande crescimento, a par do aumento do número de empresas dedicadas ao Armazenamento de Dados, que validará esta tendência tecnológica. Além disso, e tendencionalmente, os CIO’s olharão para o seu próprio departamento de TI como mais uma opção de serviço. Todas as TI de uma empresa serão consideradas “Cloud Privada”, e as expectativas de reacção, competitividade dos custos e acordos ao nível dos serviços serão comparadas às dos fornecedores de Cloud externos.

Em simultâneo, a mobilidade dos dados e a agilidade das aplicações ganham novo fôlego com as Máquinas de Armazenamento Virtual. Estes contentores lógicos de volumes de dados simplificam a migração de cargas de trabalho entre clusters de armazenamento e permitem clusters de armazenamento de alta disponibilidade em áreas metropolitanas.

Também o OpenStack continuará em voga em 2014, tornando-se a alternativa “mais aberta” aos produtos comerciais para orquestração de centros de dados – será, provavelmente, a tecnologia de open-source mais bem sucedida desde o aparecimento do Linux.

A generalização da adopção de soluções de Cloud Computing e Armazenamento, por outro lado, passará a desafiar as fronteiras geopolíticas tradicionais, fazendo com que as organizações procurem por soluções de cloud híbrida.

Além disso, o Big Data será aplicado no sentido de recolher cada vez mais dados para aprofundar os conhecimentos, nomeadamente ao nível do comportamento do consumidor, processos industriais e fenómenos naturais. Esta nova vertente abrirá portas ao desenvolvimento de novas aplicações para análise destes dados.

Por fim, serão várias as tendências de 2013 que voltam em 2014. A adopção do Clustered Storage aumentará, e as infra-estruturas convergentes tornar-se-ão as arquitecturas mais interessantes ao nível do centro de dados. O Object Storage crescerá em adopção à medida que as aplicações que monetizam as suas vastas capacidades de objectos de dados ganham força.

* Territory Manager da NetApp Portugal

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.