No primeiro trimestre do ano a Toshiba liderou as vendas de portáteis em Portugal com 80.671 unidades vendidas. No segundo trimestre perdeu posição para a HP, que reassumiu o primeiro lugar da tabela, pelas contas da IDC. Ainda assim, a fabricante japonesa conseguiu manter a liderança no semestre com um total de 138.515 unidades vendidas, contra as 115.699 unidades vendidas pela concorrente HP no segmento de notebooks durante o período. O resultado da subsidiária portuguesa torna-a a única da região europeia em que se insere (Western Europe) a garantir a liderança nacional de vendas nos portáteis. Perguntámos ao director de marketing da empresa em Portugal que factores contribuem para isso.

http://imgs.sapo.pt/gfx/245267.gif
TeK: A que factores atribuem os resultados da Toshiba em Portugal nos primeiros seis meses deste ano?

Jorge Borges:
Estamos a crescer acima do mercado em todos os segmentos e em todos os canais de distribuição. No entanto o nosso objectivo não é a liderança a qualquer preço. A nossa prioridade é crescer com sustentabilidade e consolidar o nosso posicionamento no mercado nacional.
Os resultados que temos obtido em 2008 são os frutos de uma estratégia que temos vindo a implementar, que assenta na inovação constante, em apresentar portáteis de elevada qualidade, na aposta nas parcerias com canal de distribuição e na constante monitorização das oportunidades e pronta resposta às necessidades do mercado nacional.
Neste primeiro semestre de 2008 destacamos 4 iniciativas que sustentaram este crescimento: o reforço da aposta a 100% nos parceiros certificados Toshiba Mobility Partners, o relançamento da campanha "Toshiba não avaria" com uma mensagem fortíssima de confiança na fiabilidade e robustez dos novos Tecra, o lançamento da nova gama de consumo Satellite A300/P300/U400 e o projecto e-escolas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.