Os sistemas de navegação começam a estar um pouco em toda a parte mas ainda não são omnipresentes e se não tem um também não é caso para se sentir info-excluido. Até porque continuam a existir ferramentas mais tradicionais muito úteis para orientar qualquer percurso. É verdade que não o pode fazer on the go, mas também não são precisos mais do que alguns minutos em frente ao PC para, antes de sair de casa, saber qual o melhor caminho para chegar onde quer.

Falar de mapas online tem de passar sempre pelo Via Michelin. A empresa trouxe há muito para a Internet o trabalho de cartografia que disponibiliza nos mapas em papel. O serviço online da Via Michelin é sem dúvida um dos mais completes, se não o mais completo da rede.



O viajante pode fazer contas ao percurso escolhendo entre o caminho mais rápido, mais económico, o recomendado pela empresa. Há também um itinerário à medida de quem vai em passeio e quer ver tudo aquilo a que tem direito, no caminho, ou para quem pretende fazer um percurso a pé ou de bicicleta. Antes de saber os resultados pode apurar mais a pesquisa fornecendo informação sobre o tipo de veículo, o combustível usado e a moeda em que quer obter respostas.



Os resultados apresentados pelo serviço permitem-lhe rapidamente saber os custos totais a que está sujeito, tendo em conta custos de combustível e de portagens.



Mais recentemente foram adicionadas novas componentes que permitem completar a informação de viagem com sugestões de locais para dormir e sítios para visitar, desde museus a igrejas, ou locais para provar a gastronomia local.



Algumas ofertas nacionais



A nível nacional também há serviços que pode usar. O SAPO fez um face lift ao serviço de mapas que está mais fácil de usar e também permite reunir coordenadas para uma viagem dentro do país. Na volta do correio, que é como quem diz quando o servidor processa a informação enviada, recebe em troca os quilómetros a que corresponde o percurso definido e quanto tempo deverá levar a percorre-lo.



Ainda no plano nacional há também a alternativa oferecida pela Brisa, que no seu site tem uma área onde é possível fazer contas ao preço das portagens no seu troço de auto-estradas. É só definir ponto de partido e de chegada, classe do veículo e esperar pelos resultados. Se o cálculo for para aplicar logo a seguir vale a pena passar também pela área do site onde é possível consultar o estado do trânsito. Em algumas zonas é possível ligar às câmaras de vídeo da concessionária e ter uma noção mais realista do tráfego naquele momento.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.