Parece um tripod saído de um qualquer filme de ficção científica, mas a Gear 360 é real, e deve chegar ao mercado dentro de poucos meses. A câmara de vídeo de 360º, ou vídeo imersivo, é uma das novidades que a Samsung reservou para o Unpacked do MWC e para muitos é uma surpresa. Pelo menos não foi alvo das mesmas “fugas” de informação que o Galaxy S7 e o S7 Edge, também hoje apresentados no evento Unpacked que estamos a acompanhar em direto.

O TeK teve acesso à câmara antes do evento e experimentou o potencial de captura de vídeos em 360º com este pequeno aparelho que mais parece um brinquedo mas que pode ser um caso sério para a massificação dos vídeos em 360º, que captam cada vez mais o interesse dos utilizadores.

E se tiver sucesso permitirá passar rapidamente do “vê o que eu fiz” comum nas redes sociais para uma lógica do “vê o que eu vi”.

Com duas câmaras de 12 Megapixels, uma à frente e uma atrás, e com lentes de olho de peixe, com um ângulo de 180º, a Gear 360 captura tudo o que se passa à sua volta, mas é com a ajuda de uma app no smartphone ou com o computador que processa o vídeo, garantindo depois as imagens em 360º.

A Gear 360 tem vários modos que podem ser geridos pelo utilizador diretamente com os botões que estão colocados no equipamento ou na app do telemóvel, podendo alternar entre vídeo e fotografia.

Discreta quanto baste, a pequena câmara está preparada para ser usada também isoladamente, pelo menos na captura das imagens, e tem uma ROM de 8 GB, RAM de 1 GB para processamento das imagens, suportando um cartão microSD até 128 GB.

A própria câmara possui um pequeno display que dá indicação da bateria, do número de imagens ainda disponíveis e capacidade de armazenamento, e leds de indicação de função, mas é depois com a ajuda do smartphone que se faz o resto do trabalho no processamento das imagens.

A app usada para a demonstração é específica da Samsung, a Gear 360, e vai estar disponível para os modelos mais recentes dos smartphones Galaxy, pelo menos até ao S6. A Samsung está também a trabalhar numa aplicação para usar no PC mas não há data para o lançamento.

A transferência de imagens da câmara para o smartphone faz-se via Wi-Fi, embora a ligação entre a câmara e o smartphone se processe por Bluetooth. E o processamento é bastante rápido, pelo menos na experiência que o TeK teve com o dispositivo.

A partir do momento em que as imagens são “coladas” no smartphone, criando o vídeo em 360 graus, o ficheiro fica pronto para ser partilhado no Facebook ou no YouTube, que estão a apostar nos vídeos imersivos, mas poderá também ser visto no computador ou nos óculos de realidade virtual da Samsung, bastando encaixar o smartphone para estar “dentro” da experiência.

Em termos de acessórios a Samsung garante que a câmara é compatível com os dispositivos tradicionais das câmaras fotográficas e câmaras de ação, o que permitirá usar a Gear 360 com as bandas de fixação em capacetes, bicicletas, pranchas de surf e outros dispositivos. E há garantia de que é resistente ao pós e à água. Pelo menos a salpicos.

Preços e datas de comercialização ainda não há. Será “em breve”, não se sabe para que mercados, e com um “preço competitivo”. Com o quê, perguntámos nós? Com outras opções de mercado, responderam. Mas na verdade, neste segmento ainda não há nada, pelo menos comercializado.

Para além das câmaras profissionais, a Nokia já anunciou uma que tem um simpático preço de cerca de 56 mil euros, a GoPro estará a preparar uma oferta que se assemelha a uma “roda” de câmaras de ação, mas que ainda não tem data de lançamento.

Por isso resta esperar para ver qual é o valor que a Samsung acredita que pode ajudar a massificar o vídeo em 360º. E esperar também que chegue ao mercado português.

Fátima Caçador

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.