Seja por razões profissionais ou pessoais, há muito quem traga dois telemóveis no bolso – um para o trabalho e outro pessoal, ou um de cada rede conforme o círculo de amigos ou familiares. O Samsung SGH-D880 permite ultrapassar estas dificuldades e combinar num único equipamento dois cartões SIM, do mesmo operador ou de operadores diferentes, como se tivesse dupla personalidade.

O conceito de juntar dois cartões SIM no mesmo telefone não é novo mas a Samsung é a primeira grande fabricante a avançar com um modelo fácil de utilizar e a um preço razoável.



http://imgs.sapo.pt/gfx/449901.gif

O terminal é elegante e de utilização simples, com os menus de navegação baseados em ícones. O teclado está escondido debaixo do ecrã, surgindo por deslizamento num movimento fácil que pode ser feito apenas com uma mão, mas a verdade é que a maioria das funções pode ser realizada sem exigir o recurso ao teclado numérico.

Sem grandes pretenções, o Samsung SGH-D880 assemelha-se a qualquer modelo de gama média-alta no mercado, com as habituais funcionalidades multimédia de câmara fotográfica e de vídeo – embora com apenas 3 Megapxels, e um ecrã de qualidade e dimensão já bastante razoável que torna mais agradável a navegação Web e a visualização de imagens e jogos.



http://imgs.sapo.pt/gfx/449902.gif

O suporte Triband é simpático para quem viaja para paragens fora do circuito GSM, como os Estados Unidos, mas a ausência de 3G é uma falha notória, sobretudo para quem já se habituou à maior velocidade de ligação web que a terceira geração móvel garante e à qual o GPRS e o EDGE suportados neste terminal não chegam aos calcanhares.

A integração dupla de cartões SIM pode porém fazer esquecer este “ligeiro” problema. Sobretudo para quem está farto de malabarismos com dois telemóveis, tendo de pensar antes de atender uma chamada em que “papel” deve estar ou sendo necessária uma decisão de qual telemóvel usar sempre que quer ligar para alguém.



http://imgs.sapo.pt/gfx/449900.gif

Com o Samsung SGH-D880 basta colocar o dois SIMs e esperar a sua activação, à qual se segue uma configuração para definir qual é o número principal e se o segundo cartão se mantém activo (pode optar por ter o segundo cartão desligado). Esta é uma configuração importante já que é através do cartão principal que serão realizadas todas as chamadas. O segundo cartão (em modo Activo) permite receber chamadas, embora também possa ser origem de um telefonema, desde que o utilizador prima um pequeno botão na parte lateral do telemóvel para o escolher como fonte da chamada.

Sempre que quiser redefinir o papel de cada um dos cartões, mudando o SIM principal, o telemóvel irá reiniciar-se, o que pode ser um inconveniente e é certamente desagradável, embora nem de longe tão chato e demorado como mudar manualmente o SIM de um telefone ou ter de ligar outro terminal.

Tirando a falta do 3G, o processo de mudança de SIM principal e a localização do cartão de memória atrás da bateria – dificultando o acesso – este é um terminal simples e fácil de utilizar que recomendaria a quelquer utilizador com problema de personalidade dupla. E o preço é de 349 euros livre de operador, uma surpresa agradável.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.