O responsável dirigia a equipa executiva da Beats quando a empresa foi comprada pela Apple no ano passado e terá sido um dos responsáveis pela reestruturação da plataforma que deu origem ao Apple Music. Na empresa da maçã assumiu o cargo de diretor do serviço.

A Apple já confirmou a saída do colaborador, que segundo a imprensa norte-americana terá deixado a companhia para vir trabalhar para a Europa numa empresa de outro ramo. A Apple não comentou estes detalhes.

A imprensa local garante que a saída da Apple de um dos cérebros do seu novo serviço de música apanhou de surpresa os colegas, mas também os principais responsáveis da indústria discográfica, que lhe reconheciam um papel central no potencial de sucesso do novo Apple Music. Ian Rogers antes de estar na Beats já tinha passado por uma startup que trabalhava no mesmo domínio e por isso tinha experiência no sector.

A Apple pagou 3 mil milhões de dólares pela Beats para acelerar a entrada num mercado que no ano passado cresceu 50% para um total de 164 mil milhões de músicas. Os valores referem-se apenas aos Estados Unidos.

Nas primeiras quarto semanas em que o Apple Music esteve online a empresa garante que 11 milhões de pessoas subscreveram a possibilidade de o experimentar gratuitamente.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.