A Fundação Calouste Gulbenkian recebeu na sexta-feira, 13 de setembro, a final da competição que procura as melhores aplicações criadas por jovens para resolver problemas no país. A vencedora do Apps for Good foi a Color You, criada por jovens do Instituto dos Pupilos do Exército, cujo objetivo é integrar e facilitar o dia-a-dia das pessoas daltónicas, e que por isso não conseguem distinguir algumas cores.

No ensino secundário, a Coursly alcançou o segundo lugar, através de uma app que pretende ajudar os alunos do secundário a escolher o curso superior mais adequado, seguindo-se a Polumap, com o objetivo de identificar locais com maiores níveis de poluição.

Na categoria do ensino básico, a melhor app foi a Must Be Green, da Escola Levante da Maia, que ajuda a encontrar empresas que limpam terrenos. Uma aplicação que permite que os cidadãos consigam intervir em situações de abandono de animais e uma plataforma digital que estabelece ligação entre utentes e farmacêuticos foram as outras premiadas.

Apps for Good Portugal distinguida como caso de sucesso de inclusão digital
Apps for Good Portugal distinguida como caso de sucesso de inclusão digital
Ver artigo

Já o Prémio do Público foi atribuído à app SOS Adolescência do Externato da Apresentação de Maria, que ajuda adolescentes com problemas sociais, enquanto o Prémio Jovem Aluna.PT, patrocinado pelo .PT, foi atribuído a Rita Polido, da app "Must Be Green".

O Prémio Tecnológico, patrocinado pela Fujitsu, foi entregue à aplicação AEEG Alugin, da Escola Secundária de Santarém, que permite alugar ou alterar online o aluguer de gimnodesportivos. Por outro lado, a aplicação Invasoras, que pretende combater as plantas invasoras, ganhou o Prémio Cooler Planet, patrocinado pelo BNP Paribas para as soluções direcionadas para a melhoria do ambiente.

O evento final contou com a presença de Isabel Alçada, consultora para os Assuntos da Educação da Casa Civil e do Diretor-Geral da Educação, José Vítor Pedroso, do Administrador Executivo da Fundação Calouste Gulbenkian, Guilherme d’Oliveira Martins e ainda de Natalie Moore do Apps for Good UK. Para além disso, marcaram presença também outras personalidades e membros da Direção do CDI Portugal, que lançou a competição.

As 22 equipas finalistas foram selecionadas pelo júri durante os quatro encontros regionais que se realizaram entre junho e julho deste ano nos Açores, em Valongo, em Oeiras e na Madeira e que contaram com a presença de cerca de 150 equipas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.