O desafio GovTech tinha sido lançado em maio e pelo meio houve espaço para que cada um dos 113 projetos candidatos defendessem as suas ideias junto de um grupo de “investidores” potenciais que se inscreveram na plataforma de blockchain desenvolvida pela BrightPixel e que geriam uma carteira de moeda virtual, as GovTech. Seis projectos foram seleccionados neste processo e depois de um pitch final em frente a um júri de 45 pessoas foram escolhidos os três vencedores.

Cada um recebe agora 30 mil euros mas também o acesso a um protocolo de colaboração com o Estado para desenvolver e testar o produto ou serviço, espaço numa incubadora nacional, um programa de apoio à internacionalização e a possibilidade de participarem no Web Summit no pacote Alpha, que inclui 3 bilhetes, e a possibilidade de expor o produto ou serviço durante um dia na conferência que se realiza em Novembro.

No centro da iniciativa estava o propósito marcado de escolher projectos que já tivessem um produto ou serviço materializado e que respondessem a um dos desafios dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável definidos pela ONU, o que orientou a escolha dos vencedores.

A INFORMAT foi o projecto com maior número de votos (12 no total), convencendo o júri com o seu sistema robotizado semiautónomo para criação e gestão de aceiros e limpeza de terrenos florestais. Segundo os empreendedores à frente da iniciativa, este projecto irá permitir um maior aproveitamento dos recursos humanos e melhorar as condições de trabalho dos operadores florestais, mas sobretudo atuar na provenção dos fogos florestais.

Em segundo lugar ficou o projeto Vida Saudável para todos, da empresa OceanGlamour, que quer produzir um produto único, altamente nutritivo e saudável, pronto para consumo. É a Salicórnia, que pretende combater o consumo exagerado de sal, evitando as complicações de saúde associadas, como os acidentes vasculares cerebrais (AVC), hipertensão e doenças cardiovasculares.

Da lista de vencedores faz ainda parte o BIO2SKIN, um biomaterial adesivo, baseado em nanotecnologias para aplicações médicas. Este evita dermatites na pele em uso prolongado ou após a remoção, e é apresentado como ideal para uso geral e uma esperança para aplicações de longo prazo, como por exemplo o uso de dispositivos permanentes que se encontram fixos à pele pelo uso de adesivos, como os dispositivos de ostomia.

Em entrevista ao SAPO TEK a secretária de Estado da Modernização Administrativa, Graça Fonseca, afirmou que o balanço desta primeira edição é positivo e que já está a ser pensado o próximo GovTech, que usará também a plataforma de blockchain para a votação nos projectos candidatos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.