Pouco mais de um ano e meio desde o lançamento do Programa e-escolas a oferta de equipamentos tem vindo a mudar frequentemente, normalmente com o reforço das características e da gama de marcas incluídas na oferta, como o TeK tem vindo a escrever em várias notícias.

Nas últimas semanas as mudanças voltaram a acontecer, com um reforço positivo para a Optimus que tem modelos com características mais interessantes e mantém uma oferta de distribuição agressiva, enquanto a TMN mostra uma forte retracção da sua oferta, que de 8 portáteis listados no final de Novembro passa a dois equipamentos, que já não são entregues em 24 horas como acontecia até há pouco tempo.

As alterações reflectem a continuação de um posicionamento competitivo da Optimus e algum "congelamento" da TMN, que a operadora não confirma. O facto de já ter atingido a meta dos 300 mil portáteis distribuídos, a que se tinha proposto no início do Programa, poderá justificar esta posição. Mas há que considerar também que esta reflecte igualmente as alterações provocadas pela nova estrutura de custos decorrente da mudança dos escalões da acção social escolar - registados a meio do ano passado.

As condições básicas do programa e-escolas, tal como foi delineado pelo Governo em conjunto com os três operadores móveis - mantêm-se, com os alunos a pagar entre 0 e 150 € para entrarem no programa e receberem o computador portátil, consoante o escalão de rendimento da família. A mensalidade de acesso à Internet é também definida por estes escalões e varia entre 5 e 17,5 €, para os 512 Kbps dos tarifários básicos.

[caption]Quadro e-escola[/caption]

Os três operadores têm porém em aberto a possibilidade dos alunos do terceiro escalão de rendimentos optarem por velocidades de Internet superiores, de 1 Mbps na oferta dos 3 operadores e de 3,1 Mbps no caso do Kanguru. Mas o custo da mensalidade é naturalmente superior.

Na linha de portáteis incluídos pelos operadores as diferenças avolumam-se, fruto da mudança tecnológica que põe ao dispor dos utilizadores processadores mais rápidos, com mais memória e mais disco, mas também da concorrência, com os operadores a tentarem atrair para os seus serviços mais alunos e professores.

Optimus em força com novos portáteis
Com a nova linha de equipamentos a Optimus passa a apresentar a melhor oferta do e-escolas em termos de diversidade de marcas, mas também de características técnicas, sobretudo depois do "congelamento" da oferta da TMN.

A operadora tem agora 4 modelos, o mesmo número que em Novembro, com modelos da HP, Toshiba, Dell e Acer. Os processadores foram acelerados para 2,16 GHz e a memória RAM passa a 3 GBytes em quase todos os modelos, duplicando no Acer Extensa.

A operadora é também o único operador com Entrega Imediata dos equipamentos em 30 lojas espalhadas pelo país. Fica igualmente uma nota para a disponibilização da velocidade de 3,6 Mbps para os alunos do terceiro escalão de rendimentos, mas por um preço superior aos 17,5 euros mensais da oferta básica.

[caption]Oferta Optimus[/caption]

TMN em redução extrema
De 8 equipamentos listados na oferta e-escolas a TMN tem hoje online apenas um modelo disponível, o Toshiba A200, mas na última semana a oferta já sofreu várias mudanças, incluindo apenas um modelo da Fujitsu Siemens na passada 2ª feira, e passando para quatro modelos na 4ª feira. Por isso, vale sempre a pena verificar o site do e-escola e o da TMN para aferir a oferta real...

Como já tínhamos referido, estas mudanças podem ter várias justificações, mas a TMN garante que continua empenhada no Programa e no desenvolvimento da Sociedade de Informação.

O que é certo é que para além da redução da oferta de equipamentos também as políticas da empresa mudaram: o número de telefone para informação era gratuito e passou a ser taxado a 12 cêntimos por minuto na rede TMN ou 30 cêntimos por minuto noutras redes. O prazo de entrega que chegou a ser de 24 horas voltou também a situar-se nas 4 semanas e já não é possível fazer levantamentos nas lojas.

[caption]Oferta TMN[/caption]

Vodafone sem mudanças

Mais discreta e consistente tem-se mantido a oferta da Vodafone, com poucas variantes de número de modelos e marcas disponibilizadas ao longo da duração do programa e nenhuma alteração nas últimas duas semanas. É certo que esta operadora foi desde o início a mais conservadora nas metas a alcançar e na promoção do seu envolvimento no e-escola, mas tem vindo a actualizar a oferta em condições regulares com as mudanças tecnológicas.

[caption]Oferta Vodafone[/caption]

Desta análise fica um último lamento: já não está disponível nenhum sub-notebook, nenhum equipamento com 3G integrado nem opção de sistema operativo Linux...

Fátima Caçador

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.