A Google está a esforçar-se (muito) para conseguir entrar na área da "web social" e o Google+, ontem lançado, parece ter os argumentos para combater o domínio avassalador do Facebook, que ainda na semana passada atingiu o valor de 750 milhões de utilizadores.

A compra da rede social Orkut, com muitos utilizadores no Brasil e na Índia, foi um dos passos desta estratégia, mas seguiram-se outros tiros pouco certeiros, como o Google Buzz, que foi lançado em Fevereiro do ano passado e levou a vários processos de tribunal, tendo sido candidato a um dos fiascos do ano pelo Fiascos Award.

A falta de hábito de estar a perder numa área de negócio é tão grande que a Google terá contratado mesmo uma agência para fazer campanha contra o Facebook. Que não resultou… E por isso mesmo a Google continua a perder terreno face ao Facebook como endereço mais popular na Web. Em Maio 180 milhões de pessoas visitaram sites da Google, incluindo o YouTube, contra 157,2 milhões que visitaram "o" Facebook, segundo a ComScore.

Mas a maior diferença faz-se no número de páginas vistas: 103 mil milhões no Facebook num total de 375 minutos gastos por utilizador num mês (em média), enquanto o Google só conseguiu "agarrar" 231 minutos do tempo online, para uma visualização de 46,3 mil milhões de páginas.

O projecto Google + (Google Plus) é a arma que a empresa tem vindo a preparar para dar a volta à situação. O Google +1 já tinha sido lançado há alguns meses para personalizar a pesquisa, mas agora a empresa vai mais longe na partilha de informação com grupos específicos, criando círculos, motivando conversas e até momentos de convívio, também em situações de mobilidade. Somando tudo obtém-se o Projecto Google+, ontem apresentado, como se pode ver num vídeo produzido pela empresa.

Não conseguimos ter ainda uma "entrada" neste novo mundo - limitado por convites - mas estamos à espera de receber ainda hoje. De qualquer forma, partilhamos já com os mais curiosos algumas das funcionalidades do serviço.

A componente de Circles (Círculos) é uma das mais diferenciadoras, permitindo uma partilha mais seleccionada de informação, em vez de "embrulhar" todas as pessoas no papel de amigo - um problema que pode ser também solucionado noutras redes sociais com alguma configuração.

[caption]Nome imagem[/caption]

A Google facilitou esta configuração dos círculos de conhecimento, amizade e família, como se pode ver no vídeo que reproduzimos abaixo.

Também interessante, o Sparks permite seguir um tema, qualquer que seja, de forma fácil sobre qualquer tema. A ideia é reunir feeds de várias áreas de sites e notícias. Basta revelar o interesse e partilhá-lo com os "círculos" certos, iniciando (ou não) conversas sobre os mesmos.

Falta ainda o Hangouts, ou Pontos de encontro, que serve para encontrar amigos, como o nome indica… A Google compara esta área a bares ou pubs onde encontramos pessoas com quem queremos conversar. Mas isto traduzido para o mundo online significa mensagens instantâneas e vídeos…. E pode fazer um ping a qualquer pessoa que esteja disponível para uma conversa.

[caption]Nome imagem[/caption]

Todas estas funcionalidades estão também disponíveis em mobilidade. O telemóvel é um elemento essencial para partilhar em qualquer momento, a partir de qualquer lugar, uma imagem ou ideia, com ou sem localização geográfica.

A coordenação de agendas faz-se através do Huddle, uma espécie de grupo de mensagens que cria rapidamente um circulo, oferecendo a visão de quem está a fazer o quê, e onde.

Para além das vantagens de comunicação e partilha, todos estes serviços apresentam evidentes questões a nível de privacidade. Mas é também por isso que a Google preparou uma longa lista de explicações sobre a forma como os dados são recolhidos e tratados, que pode ser lida aqui http://www.google.com/intl/pt-PT/+/policy/.

Agora só falta experimentar!

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.