Numa altura em que a leveza e a redução dos tamanhos dos ecrãs dominam as tendências da mobilidade, mantêm-se firmes numa classe muito própria os notebooks com ecrãs de 17 ou mais polegadas, dando primazia ao multimédia e à performance nos jogos.

Enquanto a Intel e a maioria das fabricantes investem em ultrabooks, ou sleekbooks como lhes chama a HP, e ainda nos formatos mais condensados dos tablets, os portáteis mais caros continuam a ser os maiores. E podem mesmo ser considerados numa categoria à parte, de "transportáveis" quase fixos porque as dimensões que já obrigam ao uso de malas com rodinhas para suportar o peso e o tamanho e as baterias não permitem que se passe muito tempo longe das tomadas eléctricas.

Mesmo assim, pode dizer-se que o interesse no segmento continua firme, alimentado sobretudo por gammers e por utilizadores intensivos de programas de edição de imagem e de vídeo que não querem ficar “agarrados” à secretária com um desktop, mesmo quando precisam de toda a potência dos melhores processadores para o CPU e os gráficos, e de ecrãs grandes e com uma qualidade de imagem à prova dos desafios mais rigorosos.

A Toshiba é uma das fabricantes que tem vindo a investir neste segmento já há uma série de anos, renovando a gama Qosmio com todo o "artilhamento" à medida dos gostos e interesses deste público muito exigente.



O novo Qosmio X870 mantém um design arrojado com apontamentos em vermelho que já distinguiam a geração anterior, mas agora acelerados com os novos Intel Quad Core, integrando o Core i7-3610QM a 2,3 GHz, e gráficos NVIDIA de última geração. A memória RAM de até 32GB ajuda o computador a responder aos desafios impostos pelas aplicações mais exigentes.



Mas é o ecrã HD de 17,3 polegadas – quase 44 centímetros de diagonal – que atrai mais as atenções. Com tecnologia TruBrite HD+, frequência de imagem a 60Hz e 1,600 x 900 pixéis, a que se junta um tempo de resposta de 8ms, é o monitor ideal para jogos ou mesmo para ver filmes e trabalhar imagens de alta resolução.



O som é um componente também fundamental, e a Toshiba não deixou nada ao acaso, integrando quatro colunas harman/kardon (2x2), com altifalantes que suportam tecnologia Slipstream para garantir a reprodução de graves com grande potência e praticamente sem distorções.



Com tanto espaço de chassis não há também limitações às portas de ligação, seja de USB, com quatro portas USB 3.0 (duas das quais com suporte à tecnologia Sleep-and-Charge), uma porta HDMI com suporte 3D streaming para TVs 3D e Leitor Multi-card. Nas ligações conte ainda com suporte para Bluetooth 4.0, Intel Wireless Display 3.0 e Gigabit Ethernet.




[caption][/caption]

O peso não é surpresa para o “pacote”: 3,6 kg, mas a bateria é limitada, resistindo a apenas 4,3 horas de autonomia, segundo as especificações adiantadas pela Toshiba.

Quanto ao preço está dentro dos parâmetros da qualidade das especificações, sendo o valor de referência de 1.799 euros, embora uma passagem pelas principais lojas da especialidade possa revelar facilmente valores mais baixos.

Dentro da mesma linha de gamming a Asus tem uma gama muito específica, a série G, na qual o G75VW se destaca como “a derradeira máquina de combate”. A marca continua a apostar neste segmento com a produção de desktops e motherboards específicas e mostra os seus trunfos neste modelo “transportável”.

O processador Core i7 de terceira geração é acompanhado também pelos gráficos da NVIDIA GeForce GTX 670M com 3GB de memória VRAM GDDR5 dedicada. Tudo para maior capacidade de aceleração, mas com as necessárias saídas de ar para compensar o sobre aquecimento, acompanhadas de filtros removíveis nas ventoinhas colocadas nas saídas de ar traseiras. A Asus garante que o resultado é um funcionamento mais fresco e silencioso.

O ecrã de 17,3 polegadas é um LED FullHD 1920x1080 pixéis, e pode contar com o mesmo tipo de ligações, aposta no som com subwoofer incorporado e a tecnologia de áudio SonicMaster. Mas o design e o desempenho está longe de ser tão impressionante como o do Qosmio...



[caption][/caption]

O preço recomendado é também de 1.799 euros, com IVA.

Uma última referência para a Samsung, que mantém também espaço especial para os modelos XXL na sua (vasta) gama de equipamentos portáteis. A empresa tem dois modelos com ecrãs de 17,3 polegadas mas em “campeonatos” de desempenho diferentes.

Comparável aos modelos da Toshiba e da Asus que referimos acima, o 700G7 tem o mesmo processador Core i7, uma placa gráfica GeForce GTX 675M e 2 GB de DDR5. Para arrefecer este entusiasmo, o portátil integra um sistema de arrefecimento turbo do CPU e um modo especial de jogo em que se desliga a tecla do Windows e o Touch Pad. Neste modo as teclas principais de jogo são iluminadas a vermelho (!).

A imagem que reproduzimos abaixo não faz muita justiça ao computador, mas a verdade é que o design também não é muito arrojado...

[caption][/caption]

O preço fica mais perto dos 1.900 euros e a Samsung só garante 3 horas de bateria, pelo menos nas especificações…


A Samsung tem ainda outro modelo com ecrã de 17 polegadas, o Samsung 300 E7A, mas com processador Core i3 que não encherá as medidas dos gammers mais exigentes… O preço é muito mais simpático para o orçamento, rondando os 700 euros.



Também com ecrãs XXL, o Sony Vaio VPC-EJ3M1E está dentro da linha do Samsung 300, em características e preço, e pode ser um alternativa para quem quer um ecrã "em grande" mas que não está disposto a investir quase dois mil euros, preferindo abdicar de performance de topo de gama. É que na atual conjuntura é preciso saber fazer algumas concessões...

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Fátima Caçador

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.