(atualizada) A área das Tecnologias da Informação não é das que tem sido mais afetadas pela crescente taxa de desemprego que atinge principalmente os jovens recém formados. Vários estudos e indicadores mostram que este sector continua carente de recursos humanos com formação especializada e que os jovens licenciados e mestrados acabados de sair das universidades encontram mais rapidamente um emprego, ou estágio, para iniciar as suas carreiras, em Portugal ou no Estrangeiro.

Mesmo assim é preciso procurar as melhores oportunidades e, por isso, o TeK fez uma ronda pelas maiores empresas de TI em Portugal - e pelas que se têm mostrado mais dinâmicas na área - para verificar quais as que estão com processos de recrutamento ativos, em estágios e empregos mais sénior, qual o perfil de candidatos que procuram e que tipo de parcerias mantêm com as universidades.

Já no início deste ano tínhamos passado revista aos programas de estágios de algumas das principais empresas de TI, muitos dos quais ainda se mantêm, mas atualizamos agora também essa informação. Vale a pena passar também por uma outra Sugestão, onde alinhámos os principais sites para procura de emprego.

Qual é o perfil certo e o melhor “formato de currículo”?
Potencial e talento são as palavras mais usadas pelas empresas contactadas para definir o perfil certo dos candidatos a emprego. A experiência académica é importante, mas são também relevantes as competências comportamentais, como experiências extra curriculares e a formação pessoal.

“A conjugação de um bom track record académico, experiências de aprendizagem em contextos internacionais, iniciativas de empreendorismo ou atividades extracurriculares onde tenham sido desenvolvidas competências técnicas e comportamentais, são fortes indicadores de que existe no candidato uma apetência demonstrada pela sua vivência até ao momento”, afirma Ana Bernardes, diretora de recrutamento da Accenture.

Embora o perfil ideal de um candidato dependa das oportunidades de emprego que tem em aberto, na SAP – e no caso dos recém-licenciados -, procuram-se candidatos que já tenham até dois anos de experiência profissional e formação superior técnica na área a contratar. As áreas de formação académica que privilegiam são as de economia, gestão, finanças, engenharia e gestão industrial, informática de gestão, engenharia informática e de computadores, entre outras.

Na HP as licenciaturas preferenciais são engenharia informática; engenharia das telecomunicações; engenharia industrial, matemática, física, bem como de outras áreas não-técnicas, nomeadamente gestão, economia ou marketing.

“Currículos inovadores e experiências diversificadas refletidas nos percursos profissionais são, sem dúvida, uma mais-valia num 'curriculum', mas só o são efetivamente, se devidamente “acompanhados” com posturas e discursos robustos, mentes ágeis e espíritos críticos “aguçados” numa eventual entrevista”, lembra Patrícia Calvário, Diretora de Recursos Humanos da HP Portugal.

Em sintonia com a mesma ideia, Célia Vieira, administradora da Novabase, explica que a empresa procura “pessoas completas, que aliem competências técnicas a capacidades de trabalho em equipa, curiosidade e vontade de aprender. Pessoas que tragam para empresa as mais-valias pessoais que as diferenciam e tornam únicas. São estas as pessoas que nos permitem concretizar a nossa visão: tornar a vida das empresas e das pessoas mais simples e mais feliz.”

A apresentação de currículos inovadores pode ser uma forma de diferenciação, e na Gatewit eles são vistos com bons olhos. "A criatividade pode ser um excelente ponto de partida e é obviamente tida em conta", refere Carla Carvalho, Human Resources Director, salientando porém que a decisão final passa sempre pela avaliação das competências técnicas, experiência e o processo de entrevistas.


Quais as empresas que têm processos de recrutamento em curso?

Os programas de estágios são habitualmente os que têm um desenvolvimento mais estável e regular nas empresas que contactámos. Outras contratações são normalmente realizadas à medida das necessidades, embora muitas das organizações contactadas admitam que estão continuamente a monitorizar o mercado à procura dos melhores profissionais.
Veja abaixo quais as empresas que têm processos ativos de recrutamento:

  • Accenture
    Os programas de estágio são, na sua grande maioria, estágios curriculares coordenados de acordo com os períodos pelas instituições de ensino superior, e estágios de verão que se realizam entre os meses de junho e julho para garantir o devido acompanhamento dos estagiários seleccionados.

    ”Recrutamos de forma sustentada e sempre de acordo com as necessidades de negócio, mesmo no recrutamento de recém graduados, o que não permite a sazonalidade típica da maioria das empresas que recruta em setembro ou em janeiro”, refere Ana Bernardes, directora de recrutamento da Accenture, adiantando que a política de recrutamento da Accenture passa muito pela captação e retenção de talento, o que vai muito para além do recrutamento sazonal de recém licenciados.

    Em média a empresa recruta 200 recém-licenciados por ano, que representam 85% da contratação anual da Accenture em Portugal.

  • Gatewit
    A empresa abre em setembro o processo de recrutamento para 20 estagiários, a cumprir até final do ano, mas tem ainda a decorrer estágios curriculares de férias, que envolveram 5 jovens.
    "No total, até final deste ano, perspetivamos a criação de 50 novos postos de trabalho, alicerçados no sucesso do nosso processo de internacionalização e crescimento", afirma Carla Carvalho, Human Resources Director da empresa portuguesa.
  • HP

    A HP tem um programa de estágio para recém-licenciados denominado ‘HP University’, que se realiza nas instalações da empresa, na Quinta da Fonte, durante os meses de agosto e setembro. Nestes dois meses realiza-se formação com os nossos melhores profissionais da HP e os estagiários ficam a saber como é trabalhar numa empresa multinacional.

    “O objetivo deste estágio é estabelecer a ponte de ligação entre a universidade e o mundo empresarial, permitindo aos jovens recém licenciados ingressarem na vida profissional ativa”, explica Patrícia Calvário, Diretora de Recursos Humanos da HP Portugal, sem detalhar número de contratações a realizar, que depende da evolução dos resultados de negócio em Portugal.

    Noutras áreas a “estratégia de recrutamento da HP passa, sobretudo, por desenvolver um programa de mobilidade profissional. Anunciamos, internamente, as novas posições para maximizarmos as potencialidades dos nossos talentos, proporcionando-lhes o desenvolvimento de novas competências técnicas através de diferentes experiências profissionais”, indica a mesma responsável.

    Há também um programa de referências no qual o colaborador que referenciar a pessoa indicada para uma vaga anunciada recebe um bónus. Este método de contratação é utlizado, principalmente, para posições mais críticas, com pouca oferta de mão-de-obra.

  • SAP
    A instalação em Portugal de um Centro de Serviços de Consultadoria inovadores e de alto valor acrescentado para a região da Europa, Médio Oriente e África faz com que a SAP esteja a reforçar os seus quadros até final do ano, com enfoque em profissionais com competências para a implementação de de soluções e processos de negócio em áreas empresariais, como gestão financeira, gestão de recursos humanos, gestão de clientes, gestão de fornecedores, gestão logística e, em áreas tecnológicas como Business Intelligence, IT Transformation Services e ABAP Development.
    O recrutamento de consultores abarca diferentes níveis de experiência e formação, sendo ainda valorizados candidatos com estágios internacionais e com um nível de conhecimento avançado da língua inglesa.

    Até ao fim do ano o objetivo é contratar 100 consultores e até ao momento já foram contratados 51, encontrando-se a decorrer, faseadamente, o processo de recrutamento para mais 49 consultores até dezembro deste ano.
  • Novabase
    A tecnológica portuguesa integra anualmente jovnes recém-diplomados no âmbito do programa Novabase Academy, pensado para integração dos novos colaboradores, embora também desenvolva parcerias com universidades para realização de estágios e trabalhos finais de curso.
  • Primavera BSS
    A empresa abre todos os anos vagas para estágios no âmbito das licenciaturas/dissertações de mestrado em engenharia informática e ciências da computação. A Primavera tem ainda em curso vários processos de recrutamento de profissionais mais séniores, sobretudo nas áreas de consultoria de sistemas de informação, inovação e user experience, que vão ao encontro da estratégia da organização para os próximos anos, explica Adelaide Nunes, técnica de Recursos Humanos da Primavera BSS, que indica que este ano serão contratados 10 novos colaboradores e 5 estagiários, continuando a alargar a equipa.


  • PT
    A PT tem atualmente dois grandes programas de estágios, o Programa Trainees, e o Programa Academia Comercial, destinado a níveis VI e VII, direcionado para recém-licenciada e mestres, e o Programa Academia Portugal Telecom, destinado a jovens técnicos com certificação de nível III e IV. Anualmente conta recrutar 300 jovens estagiários.

Como decorre o processo de seleção?

Várias empresas usam os próprios sites corporativos como angariadores de currículos e até uma forma de realizar uma primeira entrevista online. Na SAP o website de carreiras é uma das principais fontes de recrutamento, a que se somam anúncios em órgãos de comunicação social, contactos com universidades e politécnicos, portais de emprego online e as redes sociais Linkedin e Facebook.

Rita Xavier, responsável pelos recursos humanos em Portugal, explica que depois da análise curricular das candidaturas é realizada uma entrevista telefónica, em inglês, e um “teste” no assessment center onde se aplicam várias técnicas de avaliação, incluindo diversos tipos de job-simulation. Há ainda no processo uma fase de controlo de referências e depois uma entrevista final com o responsável da área.

Para além da análise do currículo propriamente dito a PT dá também primazia a entrevistas presenciais, dinâmicas de grupo e testes psicotécnicos adaptados ao perfil e exigência requerida.

Na Accenture alguns processos de avaliação são similares a todas as áreas, como os testes de inglês, psicotécnicos e de aptidão, mas ainda assim todo o processo é muito orientado para os diferentes perfis. Os cursos de integração são uma parte complementar deste processo de seleção que permite uma abordagem bastante mais personalizada ao candidato, com uma parte significativa de formação e avaliação em sala. Estes cursos podem durar de 4 a 8 semanas, dependendo da área na qual se inserem.

Tirando partido do know how interno de tecnologia, na HP o processo de seleção é iniciado por um pequeno questionário online, no site JOB@HP, que pretende aferir as reais expectativas dos candidatos para que seja possível orientar devidamente cada candidatura. Posteriormente a empresa recorre às entrevistas telefónicas e pessoais.

Parcerias com universidades

Artur Rodrigues, responsável pelas comunicações externas e relações institucionais da IBM Portugal, indicou ao TeK que a empresa estabelece diversos protocolos com várias instituições de Ensino Superior, sem restringir atividades ou áreas de formação, onde as instituições de carácter mais técnico acabam por ter mais peso pelo setor de actividade em que a IBM se posiciona.

Entre os exemplos contam-se as Faculdades de Engenharia e de Economia da Universidade do Porto, a Universidade Nova de Lisboa, a Universidade Católica do Porto ou a Universidade Lusófona, mas também os politécnicos de Leiria e de Beja.

Na Accenture as universidades são, para os candidatos sem experiência, a principal fonte de recursos. Para recrutar profissionais com experiência a aposta passa pela pesquisa direta e as redes profissionais. Há ainda um programa de referência interna através dos quais os colaboradores podem identificar pessoas que pensem fazer sentido na organização.

As universidades onde recrutam um maior número de profissionais são a Universidade Nova, Católica, ISCTE, Instituto Superior Técnico, Faculdade de Economia do Porto, Faculdade de Engenharia do Porto, Faculdade de Economia de Coimbra, ISEG, Faculdade de Ciências de Lisboa e Universidade Minho.

A PT refere que as universidades preferenciais são as de referência, e aponta a UCP, IST, ISCTE, ISEG,FEP, FEUP, Univ. Aveiro e FCT. Nos cursos selecionam especialmente nas áreas de engenharia, matemática, economia/gestão, marketing, ciências sociais e humanas ou outras com relevância para o setor das telecomunicações.

A Primavera BSS mantém uma colaboração estreita com a Universidade do Minho, sendo que metade dos colaboradores que contrataram nos últimos 5 anos provêm desta instituição, mas a empresa coopera com outras universidades, nomeadamente a Universidade do Porto. Os cursos preferenciais são os de engenharia informática, ciências da computação e tecnologias e sistemas de informação.

Esta acaba por ser apenas uma amostra de processos de recrutamento a decorrer, e algumas das empresas contactadas pelo TeK não mostraram disponibilidade para responder, porque não têm processos em curso.

Mas esperamos que as coordenadas que apresentámos sejam úteis para quem está à procura de um emprego ou estágio ou quem se prepara para entrar a breve prazo no mercado de trabalho.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Fátima Caçador

Nota da Redação: a notícia foi atualizada com mais informação.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.