Já ninguém quer telemóveis que não sejam "smart", com ecrãs grandes e de boa qualidade e câmaras fotográficas com dezenas de milhões de pixéis. E segundo os números mais recentes, nem a crise económica impede que estes modelos se tornem sucesso de vendas.

Na IFA, a feira de eletrónica que teve início na sexta feira passada e se prolonga até dia 11, não deixou de haver novidades nesta área, com smartphones de ecrã ainda maior, e câmaras de melhor qualidade.

Enquanto os fãs ainda esperam o lançamento do(s) novo(s) iPhone - previsto para amanhã -, as novas propostas das várias marcas procuram conquistar espaço num mercado cada vez mais competitivo, onde o sistema operativo Android é dominante.

Embora os primeiros detalhes do Galaxy S5 já tenham surgido, de forma não oficial, na IFA a Samsung só apresentou o novo Note 3, um phablet que faz a ponte entre os smartphones de maior dimensão e os tablets de 7 e 8 polegadas.

O lançamento foi até eclipsado pelo relógio inteligente que faz parceria com o Note, o Galaxy Gear, antecipando-se ao iWatch da Apple que continua no segredo dos deuses.

O Galaxy Note 3 tem um ecrã de 5,7 polegadas com uma resolução Full HD - crescendo face às 5,5 polegadas do modelo anterior e melhorando também a resolução HD. Apesar de ser mais "crescido", a Samsung voltou a reduzir o peso e espessura do smartphone, que pesa só 168 gramas e se torna mais confortável para usar só com uma mão, um conforto para o qual também contribui a tampa traseira em couro.

[caption]galaxy note 3[/caption]

O processador é de quatro núcleos a 2,3Ghz e a memória RAM evolui para os 3GB. A Samsung melhorou também a câmara fotográfica integrando um sensor de 13 megapixéis que permite gravar vídeos com resolução Ultra HD a 30fps, ideal para visualizar nos novos televisores 4K.

O smartphone, que chega às lojas a 25 de setembro, integra uma nova S Pen, com mais funções, mas que ainda assim não consegue fazer maravilhas em caligrafias difíceis.

[caption]galaxy note 3[/caption]

A Sony voltou a tirar partido do palco da IFA para apresentar um novo topo de gama, o Xperia Z1. Neste caso é a qualidade de imagem que está em destaque, até porque o equipamento foi lançado com duas lentes (a QX10 e QX100) que permitem fazer fotografia ou vídeo com uma resolução de 1440x1080 em MP4.

O novo Xperia Z1 tem um ecrã de 5 polegadas com alta definição e está equipado com um processador Snapdragon de quatro núcleos a 2,2 GHz. A memória interna é de 16GB e está garantido o suporte para 4G e NFC que pode ser combinado de forma inteligente com diversos acessórios, nomeadamente os auriculares.

[caption]Sony Xperia Z1[/caption]

A câmara fotográfica integrada é de 20,7 megapixéis e a lente permite um ângulo de 27 mm e abertura f2.0.

A Sony preparou o telemóvel para ser à prova de água, mas avisa que só pode mergulhar até 1,5 metros de profundidade, durante um máximo de 30 minutos.

Embora já tenha sido apresentado em agosto, o LG G2 teve na IFA o seu primeiro grande palco, e por isso não é de estranhar que muitos meios de comunicação refiram que foi em Berlim que a marca coreana fez o seu lançamento,

O ecrã de 5,2 polegadas com uma resolução Full HD, numa concentração de 424 pixéis por polegada (ppi), é também o principal destaque do smartphone que estreou o processador Snapdragon 800 com quatro núcleos a 2,3Ghz, que é usado também por outros telemóveis lançados na feira.

[caption]LG L2[/caption]

O sensor fotográfico traseiro é de 13 megapixéis com estabilizador de imagem e melhor capacidade de captação de luz. O equipamento deve chegar a Portugal em Outubro, mas ainda não tem preço definido.

Entre os lançamentos contam-se também dois modelos da HTC, com ecrãs mais modestos, que se ficam pelas 4 polegadas e resoluções WVGA. O HTC Desire 300 tem um processador dual core Snapdragon e uma câmara de 5 MP, mas o modelo Desire 601 é mais ambicioso, com o ecrã de 4,5 polegadas mas mantém o uso de um processador dual core Snapdragon e câmara de 5 megapixéis, o que pode ser interessante para um mercado de gama média mas que dificilmente atrairá os fãs de topos de gama...

Em sentido contrário, o Acer Liquid S2 é outro dos telefones que se esforça por "apanhar" os phablets, pelo menos em dimensão de ecrã. Com 6 polegadas de dimensão e resolução Full HD, o smartphone distingue-se também pela capacidade de gravação de imagens em 4K, através de uma câmara de 13 MP, Auto Focus e LED.

[caption]Acer Liquid S2[/caption]
O processador é um Snapdragon 800 quad core a 2,2GHz, e o smartphone integra também 2GB de RAM e 16GB de armazenamento, que pode ser alargado através de um cartão microSD. Mais uma vez o smartphone deve ficar fora das lojas portuguesas, pelo menos nos circuitos oficiais. O preço definido para a Europa é de 549 euros.

Outro dos smartphones apresentados que não chega às lojas portuguesas é o Lenovo Vibe X, que só pesa 121g e tem uma espessura de 6,9mm. O ecrã de 5 polegadas suporta uma resolução de 1920 x 1080 comm 440ppi, semelhante aos ecrãs retina da Apple. Por dentro tem um processador quad core de 1,5GHz e a memória interna é de 16 GB.

[caption]Lenovo Vibe X[/caption]

Nota ainda para a nova marca que chega esta semana ao mercado português, o Wiko, que se diferencia pelos preços baixos e o suporte dual SIM em todos os modelos. O Darkfull é o equipamento de topo de gama e apresenta um ecrã de 5 polegadas IPS, com resolução Full HD, e um processador dual core. O preço deverá rondar os 270 euros.

[caption]Wiko[/caption]

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.