Já tínhamos escrito que os Tablets eram a grande sensação deste ano no Mobile World Congress em Barcelona, mais até do que os smartphones que continuam a dominar os stands em grande profusão.


É para ver e tocar os novos tablets apresentados por empresas como a RIM, HP ou HTC que se formam mais filas de visitantes, que não querem perder a oportunidade de uma primeira experiência, mesmo que limitada. E para além da "moda", a espera é justificada, até porque muitos destes equipamentos vão demorar vários meses a chegar às lojas.


Mas quem visita a feira tem também dificuldade em ignorar outra tendência omnipresente: o Android. Não só porque é o software de base usado por muitos dos novos gadgets, de smartphones a Tablets, mas também porque o espaço foi invadido por pequenos aliens verdes. São dummies do Android espalhados por todo o lado, servindo de suporte à distribuição de gomas e de Pin Badges com que a Google conseguiu animar os coleccionadores, que podem procurar as 86 versões que estão disponíveis, e tentar juntar todos os pins. Normalmente pendurados nas fitas dos cartões de visitante e expositor.



Só que há muito mais para ver na exposição que até dia 17 concentra grande parte da inovação e know how de redes de telecomunicações. E quem procura encontra outras novidades de interesse que podem ditar tendências a curto prazo.



Foi isso que o TeK fez. Mesmo sem conseguir evitar perder tempo nas filas para experimentar os tablets e tocar os novos smartphones, tomámos nota de 5 produtos interessantes, que aqui mostramos, sem qualquer ordem especial.



A solução lightRadio da Alcatel Lucent pode não vir a tornar-se tendência, mas reflecte ela mesmo uma disposição dos fabricantes de equipamentos de rede para propor formas mais fáceis e rápidas de implementar tecnologia de quarta geração. A ideia e a sua aplicação foi criada nos Bell Labs e consegue combinar as antenas necessárias para as redes 2G, 3G e LTE numa única antena multibanda e multifrequência, num formato minimalista que pode ser instalado praticamente em qualquer lugar onde exista uma ligação de banda larga e energia.

[caption]cubo[/caption]

O dispositivo que é carinhosamente tratado por cubo não parece grande coisa, mas a Alcatel garante que vai reduzir dramaticamente os custos operacionais, a complexidade técnica e o consumo de energia num contexto de acentuado crescimento de tráfego. E a multidão que esperava para poder ver esta pequena peça de engenharia era quase tão surpreendente quanto a que aguardava pelos tablets.

É também em forma de cubo que a Telecom Itália apresenta o seu dispositivo para vídeo on demand sobre redes IP. Desenvolvido em parceria com a Intel e fabricado por um parceiro asiático, o Cubovision recorre ao software Meego da Intel para gerir a transferência de imagens para a televisão, construindo uma emissão "à medida" de cada utilizador.

[caption]cubovision[/caption]

O dispositivo já está à venda em Itália, por 199 euros, e a operadora está agora a lançar um concurso para o fabrico de um modelo mais pequeno e de menor preço. Mas está também à procura de parceiros noutros países que possam ajudar a reduzir custos com o alargamento da produção em maior escala.

As soluções de partilha de media entre vários dispositivos estavam, aliás, presentes em muitos stands e vários fabricantes e empresas de software continuam à procura da solução mais fácil para controlar emissões de TV através de Tablets e telemóveis, transferir vídeos, imagens e música entre vários aparelhos e conseguir uma sincronização multimédia.

Uma das propostas é o Medios da Motorola, um software de gestão de informação multi screen que vai ser testado por um operador t1 (um grande operador) nos Estados Unidos, mas cujo nome a marca não quis divulgar. Tudo parece mais fácil com esta solução, que propõe cenários como o início de visualização de um jogo de futebol no telemóvel, que passa para a TV com um simples toque de um dedo quando se chega a casa.

[caption]motorola[/caption]

A gestão é feita pelos operadores que podem desenvolver novas aplicações, mas tendo por base a segurança da plataforma da Motorola e a gestão de conteúdos e direitos de autor.

Uma solução elegante e surpreendente para a partilha de conteúdos foi também desenhada pela HP com o WebOS, embora por enquanto limitada a páginas web. O novo tablet da marca e os telemóveis que foram apresentados com o mesmo sistema operativo podem "transferir" informação sobre uma página web aberta no browser simplesmente com um toque do telemóvel sobre o tablet. O efeito visível é apenas uma espécie de "ondulação" no ecrã, e como se fosse magia a página fica aberta também no telemóvel.

[caption]hp[/caption]

O TouchPad com WebOS deverá estar à venda no Verão, mas já está a prometer algumas ondas de choque no mundo da mobilidade, sobretudo se conjugado com os dois telemóveis tamanho S e M. Até mesmo pela utilização da tecnologia de carregamento de bateria sem recurso a fios, através de um dispositivo que pode ser usado também como suporte, o Touchstone.

[caption]hpn[/caption]

O conceito é o mesmo usado pelo PowerMat, já em comercialização, e que em Barcelona mostrou novos desenvolvimentos do sistema que garante o carregamento de vários telemóveis sem ligar nenhum fio, simplesmente através de contacto, mas ainda recorrendo a uma capa especial. A ideia já está a ser adoptada pela General Motors para os carros, um dos tipos de utilização onde irá assumir um papel cada vez mais relevante.

[caption]hpn[/caption]

Fátima Caçador

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.