O evento acontece nos dias 20 e 21 de dezembro, organizado pelo Instituto Pedro Nunes, e assinala o quarto aniversário da incubadora espacial portuguesa da Agência Espacial Europeia (ESA BIC Portugal). Também vai servir para apresentar seis novas startups incubadas na ESA BIC Portugal e para discutir o futuro do sector espacial em Portugal.

Paralelamente, há uma exposição onde é possível conhecer ao vivo produtos e protótipos funcionais com aplicação terrestre desenvolvidos com tecnologia espacial. É o caso da impressora 3D da BeeVeryCreative, desenhada para a Estação Espacial Internacional - MELT, capaz de imprimir em ambiente de microgravidade. que vai estar em funcionamento à vista de todos. Com a ajuda do IPN, enquanto Broker de Transferência Tecnologia da ESA, a BeeVeryCreative está a transferir tecnologia desta impressora para desenvolver um novo produto para prototipagem industrial.

Marcam também presença com os seus protótipos a Pavnext, uma startup que está a aplicar uma cortiça da Amorim Cork Composites, usada no isolamento de foguetões, no desenvolvimento de um pavimento que reduz a velocidade dos carros e gera energia, assim como a ActiveSpace Automation, que está a incorporar tecnologia espacial em aplicações terrestres e terá para mostrar um veículo teleguiado usado para suporte à logística em ambientes industriais.

Já a Matereo vai apresentar um rover aquático e um satélite marítimo capazes de recolher, em tempo real, dados bioquímicos de monitorização da qualidade das águas, combinados com dados de Observação da Terra.

No segundo dia do Portugal Espaço 2030 o destaque vai para o tema da plataforma de lançamento de satélites nos Açores – Atlantic International Satellite Launch Programme, numa sessão conduzida por Luís Santos, coordenador da Estrutura de Missão dos Açores para o Espaço, e que conta com a participação da Orbex, do Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto e ainda da PLD Space, que trabalha com foguetões suborbitais.

Temas como o projeto Space Rider, que deverá aterrar nos Açores, e empresas como a Avio, empresa italiana que opera no sector aeroespacial, a Spin.Works e a organização EUMETSAT também marcam presença, assim como a Ciência Viva, que participará num painel dedicado à Educação para o Espaço e Espaço para a Educação, e que conta ainda com as parcerias internacionais MIT Portugal e UTAustin.

Destaque ainda para as intervenções de Manuel Heitor, ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Gui Menezes, secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia dos Açores e de Teresa Mendes, presidente da direção do Instituto Pedro Nunes, assim como do diretor geral da ESA, Jan Wörner, que falará sobre as novas oportunidades no Espaço 4.0.

O programa do Portugal Espaço 2030, numa versão provisória, pode ser conhecido na página web space.ipn.pt/news_items/83.

Recorde-se que a ESA BIC Portugal é coordenada pelo IPN e tem polos no Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto e na agência DNA Cascais. É um dos 20 centros de incubação da Agência Espacial Europeia a nível europeu, onde são apoiadas startups que transfiram tecnologia espacial para sectores terrestres, mas também novas empresas que pretendam entrar no mercado espacial comercial, no chamado New Space.

O Instituto Pedro Nunes é também membro da rede de Brokers de Transferência Tecnologia da ESA, apoiando a comercialização da tecnologia espacial em mercados não espaciais e divulgando as melhores e mais promissoras tecnologias espaciais e competências das empresas e academia espaciais portuguesas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.