Se ainda é do tempo em que a internet era praticamente uma miragem acessível a poucos e eram os CDs comprados nas lojas de música a única forma de termos acesso aos grandes hits dos nossos músicos e bandas preferidas, então plataformas como o Spotify podem ser hoje quase equivalentes a magia…

Imagine-se ter disponível no computador ou no smartphone milhões de temas de milhares de artistas… sem ser necessário pagar! Exato. A evolução dos serviços de música online e a respetiva relação com as editoras no campo dos direitos de autor foi “desaguar”, depois de tantas questões relacionadas e polémicas, numa só plataforma.

E o Spotify não brinca em serviço: além de basear-se num modelo de negócio infalível (o registo e a música são gratuitos, mas há anúncios entre as faixas reproduzidas), funcionalidades é o que não falta, havendo total reconhecimento daquilo que os utilizadores desejam ter numa plataforma do género.

 

Mais do que isso, há uma vertente de rede social bastante difícil de ignorar. É possível manter uma rede de amigos no Spotify, com a indicação constante do que cada um está ou tem ouvido com a ajuda deste serviço de streaming.

Esta acaba por ser uma forma muito eficaz de descobrir novos sons e novos artistas, pois as playlists dos utilizadores a quem estamos ligados trazem-nos sempre uma novidade ou outra, que acaba por passar também para as nossas listas e influenciar o “rumo” que o Spotify dá à música que vai reproduzindo automaticamente.

Por outro lado, entre outras funcionalidades “engraçadas” e que fazemos questão de usar está a presença de efeito de crossfade entre cada música (nas definições avançadas, sendo possível selecionar transições do género entre um e 12 segundos), a criação de playlists partilhadas com todos os nossos amigos no serviço, e o recurso aos úteis atalhos de teclado suportados. Mas pode ver então cinco “segredos” mais pertinentes na galeria acima.

E ainda é possível fazer streaming via browser, para as situações em que não nos é possível proceder à instalação do programa ou da app móvel em determinados computadores e/ou terminais móveis.

Pagar e ter vantagens

Pagar os 6,99 euros por mês pelo Spotify Premium (a campanha de lançamento nos três primeiros meses custa 0,9 euros!) dá direito a várias funcionalidades extra, sendo os principais atrativos a opção de não ouvir os anúncios e também a possibilidade de definir o streaming em alta qualidade.

Mas há um pequeno truque que pode fazer com que o serviço saia mais barato: o pack família. Basta juntar vários amigos para dividir o custo mensal, que é assim ligeiramente superior, já que pode adicionar ao grupo até cinco utilizadores.

Esperamos que com os cinco “segredos” que indicamos na galeria acima tenha a possibilidade de aproveitar melhor o excelente serviço gratuito (e pago!) que o Spotify providencia. Mas o maior segredo do sucesso da plataforma é a quantidade – tirando um ou outro artista, está tudo no Spotify, certo?