O número de reclamações referentes a compras feitas em lojas que estão na rede social tem aumentado, de acordo com um alerta lançado há alguns meses pela DECO. Na maioria das vezes, as queixas em causa dizem respeito a atrasos nas entregas e à falta de restituição do pagamento quando o cliente desiste da compra, avança a associação de defesa do consumidor.

“A DECO tem recebido várias dezenas de reclamações referentes a compras em lojas no Facebook, nomeadamente atraso nas entregas dos produtos comprados e falta de reembolso em caso de desistência da compra”, explica em comunicado.

Grande parte do problema acontece porque as lojas no Facebook, na sua maioria, não estão registadas como empresas em Portugal. Por sua vez, muitas não apresentam qualquer endereço físico de contacto.

Além disso, nem sempre as vendas podem ser consideradas como transações entre um comerciante e um consumidor, tratando-se sim de vendas entre particulares, o que torna mais difícil a resolução de um possível conflito posteriormente.

A situação levou a DECO a deixar alguns conselhos aos possíveis cibercompradores, que pode ver na galeria a seguir.

Nota da Redação: Esta Sugestão TeK foi originalmente publicada em abril, sendo agora revista para recuperar a informação.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.