A Microsoft insiste em chamar à nova versão do Office apenas “o novo Office” mas parece estar sozinha nessa demanda, até mesmo internamente. Seja por hábito ou por facilidade de distinção em relação ao Office atual, o Office 2010, as referências acabam sempre por se fazer ao Office 2013 ou ao Office 365, e até os atalhos para as aplicações – depois de instaladas – recebem esse nome.

Com a indicação da data da versão ou não, o certo é que o novo Office traz grandes alterações na forma de utilização do pacote de produtividade e também de licenciamento, como o TeK já escreveu.

Os novos pacotes de licenciamento tradicional e de subscrição na cloud chegam hoje às lojas em todo o mundo, trazendo novas alternativas na forma como os consumidores adquirem o produto. Isto não quer dizer que o modelo antigo, de software instalado no computador pessoal e uma licença por máquina, tenha desaparecido. Nem que os utilizadores que usam o Word, o Excel ou o PowerPoint no seu dia a dia se vão sentir perdidos com a nova versão.

Mas há realmente uma nova estratégia, que se chama Office 365, que integra o software de forma mais próxima com a cloud e o Skydrive ou o Sharepoint, facilitando a partilha, edição e colaboração a partir de qualquer dispositivo, em qualquer lugar. Desde que exista acesso à Internet.

As aplicações do Office continuam a ser o Word, Excel, PowerPoint, OneNote, Outlook, Publisher e Access, mas o design também foi renovado para se ajustar ao interface do Windows 8 e a novos modelos de utilização com ecrãs de toque que convidam a tirar notas com uma caneta sobre um ecrã tátil, ou a ler em formato mais próximo do que é aplicado nos eBooks.



[caption]office num tablet tek[/caption]

Conheça com o TeK as sete principais mudanças que identificámos no novo Office e depois experimente por conta própria...

1 - Interface renovado
Tudo é diferente e ajustado ao interface do novo Windows 8. Mesmo que o sistema operativo ainda continue a ser o Windows 7. O menu de ferramentas lateral não será um mistério para quem já usa o Office 2010, nem o acesso às funcionalidades habituais e atalhos que se vão aprendendo com o tempo, mas o novo Office ganha em fluidez, sobretudo com ecrãs de tablets ou notebooks e ultrabooks com ecrãs táteis.



[caption]word start[/caption]

2 – Office a pedido
A Microsoft já disponibilizava os visualizadores e as Web Apps que permitiam ver os documentos criados no Word sem ter a aplicação instalada, mas agora vai mais longe na facilidade com o Office on demand. Os assinantes do Office 365 podem fazer stream da aplicação para qualquer equipamento compatível sem precisar de instalação, acedendo aos seus documentos, e editando-os onde quer que estejam.

3 – Roaming
A funcionalidade de roaming também é nova, e é fácil de explicar porque o nome traduz a essência do serviço: a conta de um utilizador de Office pode ser acedida em qualquer computador com Office, bastando identificar-se para aceder aos seus documentos e à sua configuração. Desde que os documentos estejam na cloud, naturalmente.

Com a disponibilização do Office em diferentes dispositivos, desde o telemóvel ao tablet, passando pelo PC, pode ficar a dúvida de que a formatação dos documentos se mantenha. Mas a Microsoft garante que sim, aplicando a máxima do design que foi criada para o Windows 8: “one format fits all screens”…. Sem perder formatação ou estilos.

4 – Office nas nuvens
É claro que as duas funcionalidades que acabámos de descrever só podem existir porque o Office 365 está plenamente integrado com a Cloud, através do Skydrive ou do Sharepoint. Os documentos da versão Office para utilizadores domésticos – Casa Premium e Universitários – são guardados automaticamente no Skydrive e os assinantes ganham até espaço adicional para não comprometerem o arquivo de outros ficheiros na nuvem.

5 – Ligação às redes sociais
Em vez de saltarem entre aplicações ou janelas de browser, o novo Office convida os utilizadores a integrarem as suas redes sociais no pacote de produtividade, com as fotos, informação de contactos e atualizações de estado. Parte da filosofia já existia antes no Outlook, mas é agora reforçada com os conectores para LinkedIn e Facebook.

E com o Yammer, que a Microsoft adquiriu no ano passado, as empresas podem criar uma rede social privada para partilhar ideias, de forma integrada com o SharePoint e o Microsoft Dynamics.

6 – A comunicação chama-se Skype
A “revolução” do novo Office não podia deixar de fora o Skype. A integração é cada vez maior e a ferramenta de comunicação empresarial Lynk fica agora federada com o Skype, integrando contactos e conversas sem ter de mudar de aplicação.

Para os utilizadores individuais a Microsoft integrou também na subscrição do Office 365 uma oferta de 60 minutos mensais de comunicações gratuitas do Skype para linhas fixas em todo o mundo.

7 – Licenciamento
Uma das principais mudanças do novo Office reside mesmo na forma de licenciamento. Continuam a existir as licenças tradicionais mas a Microsoft deixa de comercializar o pacote Office Casa que servia para 3 PCs, e só vende licenças tradicionais para 1 computador, não transferível para outras máquinas.

Em troca a versão Office 365 Casa Premium, renovável anualmente, pode ser instalada em 5 PCs ou Macs, com todas as aplicações habituais, e um bónus de 20 GB de espaço adicional no Skydrive e os 60 minutos de comunicações para redes fixas no Skype.

Os estudantes universitários têm acesso ao Office 365 Universitários, com as mesmas vantagens mas com uma subscrição válida por quatro anos e direito a instalar apenas em 2 equipamentos.

Para as pequenas empresas há ainda o Office 365 pequenas empresas Premium, com subscrição anual e instalação em 5 PCs ou Macs.

A Microsoft revelou hoje os preços que permitem calcular a vantagem evidente dos modelos de subscrição na cloud. Por 99,99 euros por ano o Casa Premium´permite a instalação em cinco computadores, acesso a um Skydrive com mais espaço e 60 minutos de chamadas internacionais todos os meses. Em comparação a versão de licenciamento tradicional custa 119 euros e só pode ser instalada em um computador, não podendo ser transferida.

Também para estudantes a proposta é muito aliciante, com o Office 365 Universitários a custar 79,99 euros para quatro anos, com os mesmos benefícios no Skydrive e camadas no Skype.

De notar ainda que mesmo nas vendas em loja a Microsoft está a priveligiar a opção dos clientes que compram um computador novo e querem levar logo o pacote de produtividade, com descontos de cerca 20 euros para essas opções.

Veja, ou reveja o vídeo onde a Microsoft sumariza alguns dos pontos fortes do novo Office e que o TeK já tinha disponibilizado aquando do anúncio em junho.

Há muitas outras mudanças a descobrir para além das 7 que selecionámos como as mais relevantes. E melhor do que ler sobre as alterações, ou ver o vídeo, vale a pena experimentar na primeira pessoa o novo Office.

A preview do Office ainda está disponível online gratuitamente – e pode ser usada durante um mês - para quem quiser experimentar o Office 365 na versão 2013 antes de comprar.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Fátima Caçador

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.