Há muitas razões para usar uma VPN, especialmente para garantir que o seu acesso à Internet é seguro e privado, o que se torna mais relevante em locais com Wi-Fi pública, mas também quando quer manter o histórico de navegação em segredo, ou tem informação sensível para partilhar. Mas as VPNs podem também ser uma ajuda relevante para aceder a sites e conteúdos que estão bloqueados em algumas regiões, seja por motivos de decisões políticas ou simplesmente de gestão de direitos, como acontece com alguns serviços online.

É o caso dos serviços de streaming de séries e vídeos, que têm catálogos de conteúdos diferentes consoante as regiões geográficas. A lista de filmes e séries que podem ser vistas nos Estados Unidos é normalmente muito maior das que podem ser vistas na Europa, e é aqui que uma VPN pode ajudar a ultrapassar o geoblock definido no serviço de streaming.

A verdade é que não basta usar uma VPN qualquer. Os serviços de streaming têm tornado cada vez mais difícil aos utilizadores ultrapassar os bloqueios geográficos de acesso aos conteúdos, mas com a NordVPN é possível aceder a todo o catálogo de outros países sem sair de Portugal.

Para conseguir usar o serviço só tem de subscrever a NordVPN e instalar a VPN no seu computador, tablet ou smartphone para se ligar a um servidor do país onde está residente o conteúdo a que quer aceder, seja os Estados Unidos ou o Reino Unido, por exemplo. Depois é só usar os seus dados de acesso para poder usufruir dos filmes ou séries.

A NordVPN tem vantagens em relação a outras VPNs neste jogo de “gato e rato” com o geoblock porque tem um número alargado de localizações e uma rede de servidores que conta com mais de 5.400 servidores em 62 países.  Por isso a empresa gere uma lista de milhares de endereços IP, através dos quais canaliza os dados, com encriptação.

Outro dos “truques” é o facto da NordVPN usar uma técnica para dissimular o facto dos dados estarem a ser cifrados, o que faz com que seja mais difícil aos serviços de streaming bloquear esses endereços IP.

O segredo também está na velocidade

Se já experimentou outras VPNs para aceder a serviços de streaming e registou maus desempenhos em termos de velocidade vai ficar surpreendido com a NordVPN. O tempo de carregamento e o tempo de buffer são reduzidos, ao contrário do que acontece com outras VPNs que tendem a tornar as ligações mais lentas.

Este desempenho é possível porque a NordVPN utiliza a arquitetura de cifra WireGuard, mas com uma camada adicional de proteção através do NordLynx. Na prática a NordVPN pegou no WireGuard e juntou-lhe um sistema de NAT duplo que permite estabelecer uma ligação segura de VPN sem guardar nenhum dado identificável no servidor. Os endereços IP dinâmicos são atribuídos apenas enquanto a sessão está ativa e a autenticação dos utilizadores é feita com a ajuda de uma base de dados externa e segura.

Com a tecnologia da NordVPN é possível assim cumprir os mínimos necessários para oferecer um acesso rápido e estável aos conteúdos da streaming e poder usufruir dos filmes e vídeos em qualquer lado do mundo.

Pode ainda usar a VPN com a Apple TV, desde que instale a VPN no router, o que não é muito difícil. Outra alternativa é instalar a VPN no computador e utilizar este equipamento como router para dar acesso efetivo à VPN do serviço de streaming da Apple.

A NordVPN tem como política a proteção da privacidade dos utilizadores e usa uma combinação de encriptação AES de 256 bits e uma regra de não aplicação de logs, suporta IPv6, DNS e WebRTC.

A NordVPN tem vários modelos de subscrição e durante um período limitado é possível garantir um desconto de quase 70% na assinatura da VPN por um período de dois anos.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.