O problema de ter “espaço ilimitado” nos serviços de cloud ou cartões de memória com grande capacidade, é tornar o dedo dos fotógrafos mais “pesado”, ou seja, tirar fotos em catadupa, sem grande preocupação de seleção. “Depois logo escolho”, é o pensamento comum, e quando se dá conta, centenas e milhares de fotografias ficam acumuladas nos dispositivos. Escolhe apps de limpeza automática, perde imenso tempo a selecionar as fotografias, e no fim já nem se preocupa com o que apaga. É a vida de um comum fotógrafo de smartphone...

Quando foi lançado, o Google Fotos aliviou os dispositivos ao permitir criar um espaço na cloud, sincronizando automaticamente com os aparelhos para criar backups. As fotografias das férias ou de maratonas de trabalho são assim guardadas e acedidas onde for necessário. O melhor do serviço é a acessibilidade, utilizando uma única conta de Gmail a unificar todos os dispositivos que necessite sincronizar. E o efeito acumulativo sente-se de imediato na sua organização. Os meta-dados geográficos, a data e hora associadas às fotos permitem a criação de pastas temáticas, como os locais onde tirou as fotografias, por exemplo. O backup na cloud da Google permite libertar espaço no smartphone e outros dispositivos, além da vantagem de o armazenamento ser gratuito e ilimitado.

Desde que foi lançado, o serviço foi atualizado com elementos de machine learning e inteligência artificial, utilizando um sistema de reconhecimento de objetos presentes nas fotografias, e dessa forma cria novas categorias de organização. Comida, pessoas, monumentos, locais, animais, e sujeitos podem ser agrupados pelos respetivos temas,  o que permite criar as suas histórias e memórias fotográficas.

As principais novidades do Google Fotos, apresentadas recentemente na conferência Google I/O centram-se na criatividade, ao permitir criar pequenos filmes com as fotografias e vídeos que capturou. Pode fazê-lo diretamente da biblioteca do seu dispositivo ou através dos elementos guardados na cloud. A ideia é criar rapidamente clips e montagens simples, em poucos segundos, adicionar música e guardar ou partilhar com amigos e família através das redes sociais. Por defeito, os vídeos têm uma música pré-definida, caso não queira perder tempo a escolher um tema.

Além dos vídeos, pode criar outros elementos multimédia, tais como animações, colagens de fotografias e até os famosos GIFs. O assistente do Google Fotos pode até fazer sugestões de elementos para o projeto, caso esteja indeciso.

No que diz respeito à inteligência artificial, Virginia Wassmann, diretora de comunicação do Campus Madrid, explicou ao SAPO TEK as novas funcionalidades que estão a chegar ao Google Fotos. Uma delas chama-se “Ações Sugeridas”. Como o nome indica, “o sistema vai analisar as fotografias e sugerir aos utilizadores melhorias de cor, brilho, cortar excessos das bordas da imagem ou até girá-las, para manter o sujeito bem enquadrado, ajudando-o a melhorar as fotos”, explicou a responsável. Ações que se pretendem tão simples como um toque no ecrã. O sistema de reconhecimento vai ainda cruzar fotos semelhantes e sugerir aquelas que deve guardar ou eliminar.

Os álbuns de fotografias passam também a ter novas ferramentas características das redes sociais, tais como “Favoritos” e “Gostos”. Ao classificar as fotos, pode um dia mais tarde selecionar apenas as fotografias que mais gosta dentro da mesma categoria. “Outra novidade que começámos recentemente a divulgar é a possibilidade de salientar o que está à frente, e meter o fundo a preto e branco, por exemplo” acrescentou Virginia Wassmann.

Novo Google News com IA já faz chegar notícias aos smartphones
Novo Google News com IA já faz chegar notícias aos smartphones
Ver artigo

Embora pisquem o olho às redes sociais, as novas funcionalidades destinam-se apenas ao uso pessoal dos utilizadores. A estratégia da tecnológica é oferecer a melhor aplicação de armazenamento de fotografias do mercado, nas palavras da representante, durante a sua apresentação no Jardim Zoológico em Lisboa.

Ainda sob o tema de IA e machine learning, Virginia Wassmann acredita que embora existam desvantagens, a Google pretende focar-se essencialmente nas suas vantagens e está a aplicar a tecnologia em todas as áreas onde opera, desde as fotografias, o Gmail, o negócio de cloud, etc. “Não só a Google, mas todas as pessoas na indústria sentem que é o caminho a percorrer, porque melhora muitas coisas, mas vamos ver o que nos reserva o futuro”, referiu ao SAPO TEK, salientando que a empresa está a investir muito em tempo, recursos e dinheiro na área de machine learning.

Pode fazer o download ou atualizar para a última versão o Google Fotos nas versões iOS e Android, mas também no browser de internet no computador.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.