Entra julho e abre a época de férias, por excelência, para os portugueses. Em pleno verão, quer-se “sopas e descanso”, ou qualquer coisa como bom tempo para ir à praia ou passear e muita descontração.

A maioria das apps que fomos propondo nos últimos dias condiz com o espírito de leveza da época, sem faltar um jogo criado por um português, pronto a descarregar, novidades sobre o Instagram e a Google prestes a chegar e propostas para a edição de fotos. Também há uma sugestão para quem ainda tem de estudar. Veja tudo percorrendo as próximas linhas e bons primeiros dias de julho!

Vai ser possível criar grupo de favoritos para partilhar fotos no Instagram

De momento só existem duas possibilidades: ter o perfil privado, em que as fotos publicadas só são vistas pela rede de seguidores, ou ter o perfil público, em que os conteúdos são vistos por todos os utilizadores. Mas há mudanças importantes a caminho.

A equipa do Instagram está a testar aquilo a que chama de “Lista de Favoritos”, uma possibilidade que é nada maisnada menos que uma lista de amigos escolhida a dedo pelo utilizador e com quem este pode partilhar conteúdo específico que não estará visível para mais nenhum instagramer.

Nem sempre queremos que determinada fotografia seja vista por todas as pessoas que nos seguem, e é isso que a funcionalidade “Favoritos” vai permitir: selecionar quem é que pode ver determinado conteúdo, dando maior controlo e privacidade às partilhas de cada um.

tek grupos instagram

Segundo Robby Stein, líder de produto no Instagram, citado pelo The Verge, que avança a notícia, “as pessoas estão a tentar criar audiências mais pequenas ‘hackeando’ o Instagram e nós estamos a tentar reconhecer isso”, explicou referindo-se às contas privadas que alguns utilizadores decidem criar para partilharem conteúdos exclusivamente com um determinado grupo de amigos.

 

A funcionalidade está a ser desenvolvida há mais de um ano e começou agora a ser testada por um pequeno grupo de utilizadores. No entanto, é bastante provável que seja disponibilizada para todos os que possuem conta no Instagram nos próximos meses. “Queremos mesmo acertar nisto”, declarou Stein ao The Verge.

A aplicação terá de sofrer grandes mudanças para que a nova funcionalidade seja implementada. Ao criar uma nova publicação, o utilizador vai encontrar a opção de partilhar com os favoritos e, ao escolher esta opção, vai surgir uma indicação, a verde, de que a publicação está a ser partilhada apenas com o grupo restrito.

Não existe um número limite de utilizadores para adicionar à lista, mas a empresa calcula que cada pessoa adicione entre 10 a 30 pessoas aos favoritos.

O Instagram está disponível para Android e iOS e as novas funcionalidades devem chegar a todos os utilizadores ainda em 2017.

Conquiste planetas mas cuidado com os cometas e outros corpos celestes em Starminer  

É um título de arcada, mas com muita ação à mistura com tudo para entreter desde os jogadores casuais aos mais exigentes. Além disso tem “mão portuguesa” ou será melhor dizer mãos, olhos, ouvidos, voz…?

Criado por um português a viver em Londres, o Starminer ficou há pouco tempo disponível para iOS na App Store, e chega esta quarta-feira à Amazon AppStore com uma versão para Android.

São mais de 100 níveis onde o jogador guia a sua nave na conquista de pequenos planetas numa luta contra o tempo, dificultada por cometas e outros corpos celestes que terá de evitar a todo o custo. Entretanto há power ups para recolher que vão facilitar-lhe a vida.

 

Starminer levou algum tempo a ser finalizado – perto de três anos – mas também é verdade que foi desenvolvido só nos tempos livres e que Marco Lopes, seu criador, fez tudo. E quando dizemos tudo é tudo mesmo: desde a conceção do jogo, programação, game design, arte, música (com alguns sons vocais) e até os trailers e a difícil divulgação, “o que fez com que acabasse por demorar ainda mais”. Para somar a toda a panóplia de papéis assumidos, quase à última da hora surgiu mais um: o de pai, “o que reduziu ainda mais o tempo disponível para dedicar ao Starminer”.

Há seis anos no Reino Unido, Marco trabalha como TTL (Technical Team Lead) numa empresa que faz Technical Partnerships “isto é, uma empresa que se dedica a manter uma equipa de experts em IT, que são depois enviados em equipas para ajudar empresas de outras áreas que necessitam de expertise na área da informática com as suas necessidades tecnológicas”.

O Starminer não foi a primeira incursão no universo dos jogos. “Ainda em Portugal tinha feito uns jogos mais simples, em Java e em Flash com uns amigos, há cerca de nove ou 10 anos, mas neste momento já não se conseguem encontrar online. Desde aí comecei mais uns quantos jogos mas nunca os acabei”, confessa.

“A ideia do Starminer surgiu exatamente porque tinha começado vários jogos mas tinha-os sempre abandonado antes de terminar, e então comecei a pensar em algo que fosse simples o suficiente para que pudesse fazer depressa, mas que fosse interessante e divertido de jogar. Nessa altura não pensei que o projeto fosse durar três anos…”, refere.

Sobre o jogo que já existe na versão para iOS e que fica agora disponível para Android a partir da Amazon, diz que uma das coisas que o distingue é o cuidado e dedicação com que foi feito. “O Starminer podia ter sido feito e lançado em alguns meses, em vez de ter gasto tanto tempo a fazer e refazer images, sons, e a introduzir pequenos detalhes no jogo, mas preferi gastar mais tempo e preocupar-me com cada detalhe em vez de o lançar mais cedo”.

Por oposição aos muitos jogos superficiais, muito concentrados em mecânicas "single tap" existentes para smartphones, outro ponto a favor será a introdução de um pouco mais de complexidade “que pode manter o interesse de um jogador mais dedicado, mas também é simples o suficiente para despertar o interesse de jogadores mais casuais”.

E há “definitivamente” espaço para evolução. “O jogo foi lançado com 105 níveis, mas posso introduzir mais packs de níveis, skins para a nave, ou mesmo novas funcionalidades ou uma sequela”.

O seu criador promete não ficar por aqui. “Já tenho várias ideias, algumas para jogos mais complexos que seriam mais apropriados para PC, outros mais casuais e apropriados para smartphones”, disse ao TEK. “Algumas das ideias que comecei e que acabei por abandonar penso que têm potencial. Acabar um desses jogos e lançá-lo também é uma possibilidade. O que falta mesmo é tempo para transformar essas ideias todas em jogos”.

Além disso, Marco Lopes considera ser bastante difícil para um indie developer, neste momento, mostar o seu trabalho e fazer com que a sua app não desapareça “num mar de clones e de apps das grandes empresas com orçamentos massivos para marketing”. A solução? “Penso que o que poderia melhorar seria a visibilidade de novas apps com qualidade nas lojas de aplicações, e mais fácil acesso para os indie developers poderem mostrar as suas apps aos grandes distribuidores, como a Apple, a Google ou a Amazon”.

Microsoft Pix quer trazer mais inteligência à fotografia no iPhone

A aplicação já tem quase um ano de vida mas foi agora renovada, e quer continuar a apostar na melhoria das fotografias em dispositivos iOS da Apple. Curiosamente não há versão Windows nem Android.

Apontar e fotografar, sem receio de não obter a fotografia perfeita, é o lema desta aplicação que a Microsoft desenvolveu especialmente para dispositivos iOS. A ideia é captar as melhores fotografias sem esforço e tirar partido da inteligência do software para isso.

A Microsoft Pix toma conta do processo e seleciona os melhores filtros, aplica as configurações e escolhe a melhor imagem entre as várias captadas, mas depois elimina as fotos extra para poupar espaço. A deteção de rostos é uma prioridades e por isso não é de admirar que a app se afirme como "centrada nas pessoas", colocando essa funcionalidade em primeiro lugar.

Como não podia deixar de ser, a app tem também uma componente de Live Image, que é acionada automaticamente sempre que é detetado um "movimento interessante" na fotografia, e é criado automaticamente. Há ainda a função para criar Gifs que pode tornar-se bastante engraçada em algumas situações.

A app está disponível em português e o download é gratuito na App Store. Funciona em alguns modelos mais antigos do iPhone e iPad.

Agora já pode chamar um Uber para outra pessoa

A empresa decidiu alargar os seus serviços ao permitir que peça boleia para alguém que não está ao pé de si.
A Uber diz ter pensado nas pessoas com mobilidade reduzida e naqueles que, simplesmente, querem ajudar um amigo, mas não podem passar por casa dele para lhe oferecer boleia.

Segundo a empresa de transportes, 10% da população global tem mais de 65 anos e, como a idade não perdoa, começam a precisar de alguma atenção especial que nem sempre é possível oferecer. No entanto, quando o problema for ter de levar alguém a determinado destino e os horários não permitirem essa flexibilidade, os utilizadores vão poder começar a contar com a Uber para oferecer uma boleia a qualquer pessoa.

A nova funcionalidade, que inicialmente será lançada em apenas 30 países antes de alargar a nível mundial, permite que defina um percurso em que a recolha seja feita em qualquer ponto da cidade. Nestes casos, o utilizador receberá um aviso a perguntar se a boleia é para ele ou para outra pessoa da lista de contactos.

Assim que estiver tudo pronto, a pessoa que vai apanhar o Uber recebe uma mensagem com os detalhes do condutor e um link para poder acompanhar a viagem. O condutor recebe também a informação referente à pessoa que vai recolher.

A preparação para os exames nacionais na palma da mão

Com o final da primeira fase dos exames nacionais, são muitos os alunos que ainda têm de se preocupar com a segunda fase. Para se prepararem melhor podem, simplesmente, recorrer ao seu smartphone.

A aplicação Click Exames foi lançada esta semana para oferecer uma ajuda extra na organização e preparação para os exames nacionais. Apesar da primeira fase já ter terminado, a segunda fase está prestes a chegar e muitos alunos ainda têm muito estudo pela frente.

O que a aplicação oferece é o acesso a todos os exames nacionais, desde 2008, “na palma da mão” dos utilizadores. Além disso, tem ainda integrados os calendários de exame e escolar para que não seja necessário procurar cada informação em sítios separados.

 

A Click Exames tem ainda uma zona dedicada a notícias que estejam relacionadas com as provas e assuntos semelhantes, funcionando como uma espécie de “agregador” de notícias.

Uma outra funcionalidade que, de momento ainda não está disponível, é a “Help Me Teacher” que, pela indicação deixada na aplicação, os Ginásios Da Vinci – responsáveis pelo desenvolvimento da Click Exames - planeiam oferecer a possibilidade de os alunos enviarem as suas dúvidas a um explicador destacado para o serviço, de forma a poderem receber a ajuda necessária para a resolução do problema.

Este serviço do “Help Me Teacher” será lançado brevemente numa versão, inicialmente, gratuita. Mais tarde vai passar a ser um serviço pago.

A aplicação está disponível para Android e iOS.

Google quer ajudar a poupar nos dados móveis com uma nova aplicação

Chama-se Triangle já se encontra na Play Store, mas ainda não está à disposição de todos, porque está em período de testes.
Com a nova aplicação, a Google quer ajudar a poupar dados móveis de forma simples e eficaz para que os utilizadores não percam o controlo do seu plano de dados.

Com a Triangle vai ser possível escolher que aplicações podem utilizar os dados móveis e até mesmo por quanto tempo o podem fazer. Esta é uma aplicação que pode dar jeito nos casos em que o plano de dados é mais limitado.

 

Tudo o que é preciso fazer é fazer o download da aplicação, dar-lhe as permissões necessárias (incluindo uma que lhe permite criar uma VPN) e depois é só prestar atenção aos consumos indicados de cada aplicação, restringir as que não quer que utilizem os dados móveis e por quanto tempo.

Pode escolher entre utilizar sempre os dados, nunca utilizar, permitir o acesso durante 10 ou durante 30 minutos.

Associado a estas funcionalidades o utilizador ainda pode receber alguns bónus ao instalar ou utilizar determinadas aplicações sugeridas pela Triangle, uma funcionalidade que pode não ser disponibilizada para todos os países uma vez que depende sempre das operadoras.

Atualmente a aplicação está em testes nas Filipinas, mas deve ser disponibilizada, em breve, a nível mundial através da Play Store.

Guarde apenas 1 segundo por dia e recorde os melhores momentos com esta app

E que tal recordar os melhores momentos da sua vida com o diário em vídeo, organizado cronologicamente? Parece complicado mas a app 1 Second Everyday facilita o processo.

Ainda se lembra daquelas férias na praia onde cada dia era uma aventura? Ou da viagem a uma cidade europeia com os amigos e as visitas aos bairros mais típicos? A memória pode trair as recordações, mas o que fica registado pode ser sempre recordado, e esta app serve precisamente para isso.

A 1 Second Everyday propõe-se juntar os melhores segundos da sua vida num vídeo personalizado, e a atualização recente tem novidades que passam pela utilização de imagens partilhadas no Instagram e até um modo "Freestyle" onde pode colar muito mais do que 1 segundo por dia nos vídeos.

A app está disponível gratuitamente para Android mas para dispositivos iOS custa 5,49 euros.