Os protestos contra serviços como a Uber e a Cabify não são nenhuma novidade, mas nos últimos tempos têm ganho “maior volume”. No final de agosto, a Federação Portuguesa do Táxi (FPT) e a ANTRAL exigiram que as forças policiais apreendessem todos os veículos que operassem sob um dos serviços digitais de transporte, sublinhando a sua ilegalidade.

Apesar de os “ventos” soprarem fortemente neste setor, a Cabify anunciou que planeia levar os seus serviços até à Invicta. Ao Jornal de Negócios, a empresa disse que a data de início das operações na cidade nortenha será revelada na próxima semana. A intenção é comunicada quatro meses depois de a empresa entrar no mercado português, onde tem operações em Lisboa e na ilha da Madeira.

O Governo está a preparar legislação para legitimar estes serviços digitais e por termo à luta que tem causado disrupções no funcionamento do setor. Estas diretivas devem ser apresentadas ainda este ano.

No entanto, os representantes dos taxistas mostram-se descontentes com a inação do Executivo face à marginalidade de plataformas como a Uber e a Cabify. Para mostrar aos líderes do Governo que a sua luta não são “gritos no vácuo”, a ANTRAL e a FPT já confirmaram que vão avançar com a manifestação em Lisboa, agendada para o próximo dia 10 de outubro.

As associações sectoriais apelaram à “compreensão dos portugueses para os inconvenientes que esta manifestação pública certamente irá causar”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.