O Instagram anunciou esta semana uma alteração nas definições do feed dos seus utilizadores. A partir de agora, cada um terá mais controlo sob a forma como visualiza os conteúdos das contas que segue, podendo até voltar à timeline cronológica que antes pautava a forma como se organizavam fotografias e vídeos.

A app mudou para um feed algorítmico em 2016 e as reações não foram as mais positivas. Em suma, a transição passou o controlo para as mãos do próprio Instagram que, com base num conjunto de variáveis, calculava a posição de cada post em relação aos restantes. Na prática, esta lógica podia esconder as atualizações de alguns perfis com particular interesse para o utilizador apenas porque não se enquadravam na lista de prioridades da aplicação.

Uma petição com cerca de 26 mil assinaturas chegou a ser enviada para os escritórios do Instagram, a exigir um retorno ao feed cronológico, mas apesar de as preces não terem sido correspondidas na altura, a recetividade da empresa face a uma nova mudança parece ter mudado. De acordo com um post publicado esta semana no blog oficial da app, o feed vai ficar mais cronológico. Não exclusivamente cronológico, mas mais cronológico.

"Com base no vosso feedback, estamos a fazer mudanças que vão assegurar que os posts mais recentes aparecem com mais frequência no topo do vosso feed. Com estas mudanças, o feed vai parecer mais atualizado, e já não terás de perder os momentos que te importam", pode ler-se no comunicado.

Em adição, será introduzido um botão de "Novas Publicações" que vai permitir ao utilizador controlar a frequência com que o seu feed é atualizado, tal como acontece no Facebook. Assim, cada vez que o premir, o Instagram vai adicionar ao seu feed todas as publicações que foram feitas nos últimos minutos.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.