Acabados de apresentar, os dois smartphones Pixel 3 e Pixel XL têm as mesmas especificações, surgindo em três  cores: branco, preto e “não-rosa”. O destaque vai para o “poder” das câmaras fotográficas combinadas com a Inteligência Artificial. Aqui "entra" o novo chip integrado para garantir "imagens perfeitas” através de IA, evitando a captura daquelas fotografias embaraçosas de olhos fechados ou poses menos “dignas”.

Uma das tecnologias é o Super Res Zoom, capaz de capturar fotografias em “burst”, permitindo escolher qual a melhor frame. O modo Night Sight é a resposta para os ambientes com de iluminação reduzida ou ambientes noturnos, com a empresa a garantir que os utilizadores nunca mais terão de recorrer ao  flash. Nesse sentido, foi comparada uma imagem de um ambiente mais escuro com um iPhone Xs Max, destacando-se (como seria de prever) o equipamento da Google.

A câmara frontal consegue captar mais 184% de imagem. A funcionalidade Playground introduz efeitos e personagens renderizados em realidade virtual nas cenas, para animar as fotografias ou filmagens. Os utilizadores podem por exemplo, tirar fotos com os super-heróis da Marvel ou com o músico Childist Gambino.

A câmara consegue registar fotos automaticamente quando as pessoas sorriem, além de seguir "sujeitos" rápidos como os animais, para aquelas imagens mais rápidas. Virando o telemóvel com o ecrã para baixo faz acionar o modo “não incomodar” automaticamente.

O equipamento vem com uma base (dock station) com carregamento, transformando-se igualmente num assistente semelhante ao Google Home, “roubando” diversas funcionalidades do novo ecrã da empresa.

Os novos smartphones são lançados primeiro nos Estados Unidos, no dia 18 de outubro, seguindo-se, a 1 de novembro, um conjunto de 12  países que deixa Portugal em "lista de espera". O preço base é de 799 dólares, com a dockstation a custar 79 dólares.

Embora a Google não tivesse entrado em especificações técnicas, segundo o Engadget, que teve acesso a um modelo do Pixel 3 XL em Hong-Kong, o equipamento apresenta uma câmara principal com 12,2MP, apostando as suas "fichas" num sensor duplo com 8 MP cada, capaz de capturar imagens em super-wide para fotografias em grupo. A câmara traseira suporta a gravação de vídeo em 4K, a 30 FPS, mas a frontal está limitada aos 1080p.

Os novos smartphones são suportados pelo sistema operativo Android Pie, e utilizam navegação gestual e a tecnologia Active Edge que permite premir as laterais do telefone para executar certas funções, tais como colocar o dispositivo em silêncio ou ativar o Google Assistant. Além disso, terá um software semelhante ao Shazam, capaz de detetar e identificar as músicas reproduzidas em seu redor. A diferença da reconhecida app é que a da Google estará sempre ligada.

O novo smartphone vem acompanhado de auscultadores ligados via USB-C, que pretende tornar-se a ligação standard nos novos dispositivos. No entanto, a Google mantém o suporte aos periféricos anteriores, e nesse sentido inclui um adaptador de USB-C para jack de 3,5 mm e outro para USB-A. Tem ainda um cabo com ambas as tomadas USB-C.

No evento Made by Google 2018 desta terça-feira a gigante tecnológica apresentou ainda um tablet e um novo dispositivo para o lar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.