É em Austin, no Texas, que a Apple mantém um laboratório de recuperação de materiais, onde engenheiros e outros especialistas recorrem a um separador de componentes eletrónicos para testar novas técnicas de reciclagem que permitam à empresa ser mais sustentável nas suas operações. A máquina, referida internamente como Taz, foi desenhada para ajudar a tecnológica a recuperar metais preciosos que possam ser utilizados na produção de novos equipamentos.

A utilização desta máquina permitiu à Apple incluir 20% de materiais reciclados nos seus produtos, em 2021 - o valor mais alto que a marca já registou. No caso do iPhone 13 e do iPhone 13 Pro, a marca chegou mesmo a recorrer a ouro reciclado para revestir o processador principal, bem como os conectores das câmaras principal e traseira. Escreve a empresa que tal só foi possível por conta dos esforços empregues num projeto "pioneiro de construção de uma rede de fornecimento de ouro reciclado" proveniente de outros aparelhos eletrónicos.

Segundo a Apple, sempre que as suas máquinas obtêm uma tonelada métrica de componentes reciclados provenientes de outros iPhones, é recuperado ouro e cobre suficiente para evitar a exploração mineira de mais de 2.000 toneladas métricas de rocha. Importa sublinhar que existe até 80 vezes mais ouro numa tonelada de smartphones do que numa tonelada de minério.

Estudo indica que maioria dos equipamentos elétricos usados e não reciclados vão para mercado paralelo
Estudo indica que maioria dos equipamentos elétricos usados e não reciclados vão para mercado paralelo
Ver artigo

O Taz eleva os esforços da empresa no sector da reciclagem, uma vez que consegue separar ímanes dos módulos de áudio, o que permite recuperar mais elementos raros. Em adição, uma atualização ao robot de reciclagem Daisy, deixou-o capaz de desmontar e recuperar cerca de 23 modelos de iPhone diferentes. Com a ajuda de ambas as máquinas, a Apple conseguiu dobrar o stock de tungsténio e cobalto reciclado, bem como de outros metais.

A empresa revela mais informações sobre o processo de reciclagem de materiais no seu último relatório de progressos ambientais. O documento revela que apesar dos investimentos que a empresa tem feito neste departamento, o sucesso não se replica noutros igualmente importantes, como o das emissões de gases poluentes.

Para assinalar o Dia da Terra, a Apple está também a preparar uma experiência imersiva para o Snapchat, onde vai ser possível entender em profundidade estas e outras iniciativas de cariz ambiental.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.