A oppo era para revelar o seu novo flagship Find X2 durante o Mobile World Congress em Barcelona, mas devido ao cancelamento pelo surto de Coronavírus, decidiu mostrar o smartphone num evento online. A marca chinesa tem uma grande ambição para este novo equipamento, prometendo um carregamento total em 38 minutos. E para mostrar o que diz, durante a apresentação foi mostrado um sinal de bateria a carregar em tempo real. Do que já se sabe, resoluções de ecrã 3K, referindo-se a 1.440p, com taxa de refrescamento de 120 Hz e um processador Snapdragon 865.

Michael Tran, responsável de marketing da Europa ocidental da Oppo liderou a apresentação, fez uma pequena viagem sobre os modelos da marca, revelando que a fabricante é atualmente mais que uma produtora de smartphones. Investiu 6 mil milhões em tecnologias, como o 5G, IoT, cloud e inteligência artificial. E já conta com diferentes equipamentos IoT, tendo apostado também num smartphone criado de origem como 5G.

O Find X2 suportará 5G, com a promessa de carregar os filmes e séries "instantaneamente" e promete tornar-se standard na indústria. A fabricante introduziu o ecrã Ultra Vision, com qualidade 120 Hz, confirmando-se a informação anterior. Estão prometidas imagens suaves e com "texturas" na palma da mão. A sua taxa de refrescamento de 120 Hz está apontada aos jogadores de videojogos. Tem ainda 240 Hz de Touch Sampling, para que a resposta ao toque seja imediata. É prometido ainda a redução da luz azul, assim como brilho inteligente para causar menos irritações aos olhos.

Como novidade, o smartphone apresenta a tecnologia Ultra Vision, ideal para assistir desporto ou jogar videojogos, com uma clareza de imagem superior. É referido que é o primeiro smartphone a converter videos de baixa resolução para HDR, sejam eles da Amazon ou YouTube. Tem também altifalantes da Dolby Atmos, para som superior, de qualidade cinema.

A fabricante revelou que a sua câmara tripla já é número 1 no benchmark DxOmark (empatado com o Xiaomi Mi 10 Pro em 124 pontos). Tem o novo sensor IMX689 da Sony, composta em duas câmaras de 48 MP na versão Pro: uma wide e uma ultrawide, suportada por uma lente telefoto periscópio de 13 MP. Apresenta também o modo Ultra Night 3.0 para capturar imagens noturnas com maior qualidade. O sistema Ultra Dark Mode pretende "encontrar cores no bréu do escuro". As imagens macro não foram esquecidas, e é possível fazer zoom de 10X de forma suave. O modo expert permite capturar imagens RAW mais detalhadas para fotógrafos profissionais.

O vídeo será também uma prioridade do equipamento, com o sistema ultra steady mode 3.0, para registar imagens em movimento mais frenéticas, com maior estabilidade. O modo Live HDR permite melhorar em tempo real situações como sobre-exposição de brilho ou a redução do ruído, em locais com vento. O smartphone vem equipado com um editor de vídeo que pretende ser fácil e intuitivo de utilizar. Para demonstrar a capacidade das câmaras e poder do editor, foi feito uma experiência com a National Geographic para demonstrar o seu potencial.

No que diz respeito ao carregamento rápido, a empresa apresenta o Super Vooc 2.0, capaz de carregar o smartphone em 38 minutos, via 65W. Será possível carregar e utilizar o smartphone ao mesmo tempo, diz a fabricante. Tem um sistema de bateria dupla e capacidade de refrescamento para não aquecer durante o carregamento. O smartphone tem também a certificação IP68, ou seja tem resistência à água e ao pó.

Confirma-se ainda o processador Snapdragon 865 5G no seu interior. Ambas as versões base e Pro do Find X2 Pro têm praticamente as mesmas especificações, a nível de processador e RAM (12 GB). Apenas no armazenamento, o Pro tem 512 GB, o dobro da versão base. Outra diferença prende-se com os sensores das câmaras. Neste caso, a versão base invés de uma ultra wide de 48 MP, apenas tem uma de 12 MP. A bateria do Pro tem 4.260 mAh, um pouco mais que os 4.200 mAh da versão base.

Sendo uma fabricante chinesa, e afastando o fantasma da Huawei e o conflito com os Estados Unidos, a Oppo realça a parceria com a Google, não só para entregar um smartphone baseado em Android 10, como todo o ecossistema de aplicações da Google.

E cumpriu-se, à marca dos 38 minutos, a bateria do equipamento ficou totalmente carregada.

Quanto a preços, o Find X2 Pro (preto cerâmico ou laranja pele vegan) com 12 GB de RAM e 512 GB de armazenamento custará 1.199 euros e a versão normal (preto cerâmico ou azul oceano) com 12/256 GB custará 999 euros.

A empresa apresentou ainda o Oppo 5G CPE Omni, um sistema de reuter doméstico com antenas 5G para distribuir sinal de quinta geração em casa. Tem o modem Snapdragon X55 da Qualcomm, suportando wi-fi 6. Com este equipamento, a marca afirma que os utilizadores não necessitam de qualquer outro gateway para se ligar online.

A apresentação chegou ao fim com a revelação de que há um smartwatch na calha, mas este será anunciado em separado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.