É já amanhã que a Apple vai protagonizar um dos momentos tecnológicos do ano quando apresentar a nova versão do iPhone. Do que tem sido partilhado antecipadamente na imprensa, o smartphone pode não sofrer grandes alterações. E isso abre caminho a que uma outra "estrela" possa brilhar: não deverá ser um novo relógio, mas antes uma remodelação da Apple TV.

Há muito que se fala na vontade da marca da maçã ter uma presença mais forte no centro da casa dos utilizadores e de ter uma ligação a um dos dispositivos no qual passam mais tempo, o televisor.

Mas certezas, certezas só amanhã, 9 de setembro. Até que os executivos da Apple subam a palco, tudo continuará a pertencer ao reino do hipotético.

O TeK recupera aqui algumas das principais informações que já surgiram na imprensa internacional relativamente à apresentação da Apple.


Os novos iPhone

A maior parte das fontes parece estar de acordo quanto ao nome, 6S, e quanto à (forte) possibilidade de o futuro modelo se apresentar nas duas variantes de tamanho do seu antecessor – “normal” e Plus. Há também rumores sobre um terceiro modelo - um iPhone 6c, que se espera seja apresentado mais tarde.

Quanto às funcionalidades, sabe-se que o futuro modelo usa o iOS 9, anunciado na Apple's Worldwide Deevelopers Conference no início de junho. O Siri está, definitivamente, “metido ao barulho”, como indicia o protagonismo no convite para o evento de apresentação das novidades, e deverá surgir mais proativo.

Há também rumores sobre a integração de uma nova funcionalidade, "roubada" ao Apple Watch, a Force Touch, capaz de detetar a força com que o utilizador carrega num botão e que age de forma diferente consoante essa força. Do relógio inteligente da Apple virá também o wallpaper animado, “garantem” algumas fontes.

Fala-se ainda da qualidade da câmara que vai aumentar para os 12 megapíxeis e ter capacidade de gravar vídeos em Ultra HD.

Também há imagens, mas poucas. 

Uma revolução na Apple TV
Foi o falecido cofundador da Apple, Steve Jobs, quem na sua biografia disse que tinha encontrado a solução para o mercado da televisão. Mas a verdade é que desde então pouco se viu da marca da maçã nessa área.

Mas à medida que a apresentação se vai aproximando, adensam-se os rumores relativamente a uma renovada Apple TV.

Integração com a assistente virtual Siri, integração com a loja de aplicações App Store e também integração com o ecossistema inteligente HomeKit - a partir da TV será possível controlar outros gadgets da casa, por exemplo.

Junta-se a estas características uma transformação visual e um preço mais alto para que a Apple TV esteja em condições de ser o maior anúncio da tarde de amanhã.

As últimas indicações davam conta de que a Apple estaria interessada em desenvolver conteúdos próprios para a Apple TV, pelo que também pode ser anunciado um serviço de subscrição ao estilo Netflix.

Mas a maior das novidades pode ser o grande foco que a Apple TV pode ter relativamente aos videojogos. Os rumores dizem que a set-top box funcionará como mini-consola e que ajudará a Apple a afirmar-se ainda mais no mundo dos videojogos: já tem uma presença forte na parte mobile, faltando-lhe uma componente mais doméstica.

Uma Siri com poderes reforçados
A assistente virtual que é controlada através de comandos de voz surgiu pela primeira vez em 2011 e parece estar pronta para assumir novamente o protagonismo. 

O convite que foi endereçado à imprensa deixa isso bem claro. A Siri é agora uma ferramenta transversal ao iPod Touch, ao iPhone, ao iPad e ao Watch, sendo que deverá chegar também à Apple TV.

No caso da set-top box a assistente virtual pode mesmo ser um dos grandes elementos diferenciadores.

[caption][/caption]

Mas o destaque da Siri pode estar mais focado com os sistemas operativos iOS e Mac OS. Ao que tudo indica a tecnológica de Cupertino está interessada em tornar a Siri numa assistente preditiva, que sugere informações e ações aos utilizadores antes de estes necessitarem de pesquisar.

Desenvolver o ecosssitema WatchOS
Como não surgiram muitos rumores sobre um potencial novo relógio, e sabendo que o Watch está disponível ainda num número limitado de mercados, não será expectável ver a Apple a revelar já um novo modelo.

O que pode acontecer é o anúncio de parcerias ou de periféricos próprios que ajudam a potenciar o relógio inteligente. Como se viu na IFA 2015, há mercado para isso e há quem esteja a tirar partido disso.

O Apple Watch em novas cores, com novas combinações de braceletes e com novas funcionalidades graças ao WatchOS 2 são outras novidades que podem emergir do caldeirão de Tim Cook e companhia.

A aposta contínua no Apple Music
Setembro é o mês de fogo para o Apple Music pois será aquele em que muitos utilizadores vão escolher continuar - e pagar - ou migrar para outra proposta de outra empresa do sector. O anúncio de novos exclusivos e novas parcerias é algo que pode acontecer, mas o anúncio mais esperado está relacionado com a disponibilização do serviço no sistema operativo Android.

Mesmo sendo rival, a Apple sabe que uma boa parte do sucesso do iTunes na década passada passou pela disponibilização do software no concorrente Windows. O facto de o Android ser o sistema operativo com mais utilizadores no mundo e ser um dos que tem maior potencial para agarrar clientes, pode fazer pender a balança para os lados de Cupertino no segmento da música digital.

 

Quer saber mais?
Basta estar atento ao TeK e ao nosso Twitter durante o dia de amanhã, 9 de setembro, para ficar a par de todas as novidades.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.