Como já aconteceu noutros anos anteriores, os televisores, monitores de gaming, frigoríficos, aspiradores e máquinas da roupa subiram ao palco da conferência da Samsung a antecipar a IFA, mostrando que a empresa tem muito mais para dar para além da gama de smartphones. Afinal, esta é a principal feira e eletrónica de consumo da Europa, e a abrir a conferência em Berlim, David Lowes, CMO da Samsung Europe, lembrou que a Samsung é número 1 na área de mobile, na televisão na Europa e uma força importante em outras áreas da eletrónica de consumo.

A inovação e os princípios nos quais a empresa se baseia ocuparam uma parte importante da conferência, e mostraram que, mesmo fora do segmento dos smartphones, a Samsung tem trunfos para mostrar na IFA. David Lowes, CMO da Samsung Europe, afirma que a empresa tem feito um esforço para criar novas experiências mas "são vocês [os consumidores] que tornam a inovação normal, ao usarem nas suas vidas", justifica. E o que faz o "novo normal"? A qualidade de fabrico, a conetividade aberta e o facto de desafiar o impossível, com a coragem de perguntar "então e se...?".

Para o mundo do mobile o principal destaque está no lançamento de três novos modelos do wearables Gear: o Gear Sport, o Gear Fit 2 com a Speedo e o IconX 2018, cada um focado num segmento diferente, com o desporto e a música como base do desenvolvimento das funcionalidades. O desporto, e especificamente a natação, estão no centro dos dois primeiros wearables apresentados, mas os novos  IconX 2018 trazem uma mudança para quem gosta de música, e podem guardar uma vasta playlist nos auscultadores, para ouvir quando quiser sem ter de ligar ao telemóvel, e com mais bateria.

Na linha de outros auscultadores com design mais radical, como os Level U Wireless, e dando continuidade ao design do IconX, os IconX 2018 podem ser uma mudança na forma de ouvir música, ganhando independência em relação ao smartphone.

O TEK apurou que os auscultadores estarão à venda na Europa em Outubro, mas ainda não há data para a chegada dos novos modelos de smartwatches a Portugal, nem preços.

A qualidade da imagem e a eterna questão do OLED

Entre as novidades que a Samsung trouxe à IFA há uma nova adição à linha de televisores "de moldura", a linha The Frame onde a marca promove a utilização de imagens de arte a ocupar o ecrã do televisor quando este está desligado. Agora esta linha de televisores conta com um modelo de 43 polegadas e alargou parceria com museus, incluindo o Museu do Prado, para que os clientes possam desfrutar das obras de arte nos seus televisores. Na loja de imagens do televisor podem ser agora adquiridas mais de 1.000 peças de arte, para dar mais valor a esta aposta da Samsung.

Mas há também dois novos televisores QLED Q8F, de 56 e 65 polegadas, o que alarga a linha de TVs QLED da Samsung a 14 modelos. David Lowes garante que "é a gama mais alargada na Europa" e reafirma o compromisso com a tecnologia QLED.

"Muitos perguntam se a Samsung vai voltar ao mercado OLED. Reafirmamos o compromisso com o QLED. Acreditamos que esta é a tecnologia da TV do futuro", justifica.

Na área da qualidade de imagem a empresa acaba de alargar o HDR aos monitores de gaming com um novo modelo apresentado na Gamescom, que apelida de “o maior monitor de jogos QLED do mundo”: o super ultra panorâmico, 32:9, CHG90 QLED, com as suas 49 polegadas. Este monitor conta com uma resolução de 3840 x 1080 e uma curvatura de 1800R. A promessa é a de oferecer uma experiência de visualização cinematográfica ao estilo IMAX.

A Samsung deu também a saber que estabeleceu uma parceria para desenvolvimento de conteúdos HDR10+  com a Panasonic e a 20th Century Fox, mediante a qual vai disponibilizar já partir de janeiro de 2018 o licenciamento e modelo de royalty free.

Nota da Redação: a notícia foi atualizada após a conferência. Foi feita posteriormente uma pequena correção.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.