A Xiaomi está num bom momento na indústria dos smartphones, procurando ombrear com a Samsung a liderança do mercado. E por isso, tem mantido um fluxo de novos equipamentos a chegar ao mercado. No mês passado lançou o Mix 4 na China, um topo de gama com câmara escondida debaixo do ecrã e carregamento rápido de 120 W. E para reforçar o poder da marca, a Xiaomi decidiu abandonar a sua submarca Mi, mantendo apenas a Redmi para identificar os equipamentos para um público mais jovem.

Antecipando o novo evento, a Xiaomi revelou novos óculos inteligentes de realidade aumentada com microLED, permitindo aos utilizadores consultar mensagens, notificações e até captar fotos ou fazer chamadas a partir do sistema.

Mas hoje todas as atenções estão voltadas para o Xiaomi 11, a joia da coroa da fabricante chinesa, que poderá ser lançada em três versões: o 11T, o 11T Pro (confirmados pela marca) e ainda o 11 Lite 5G NE, que a própria empresa já tinha deixado teasing.

A Xiomi abriu a apresentação com a ligação de um cabo de energia ao seu 11T, ligando-se o ambiente do estúdio. Pode ter sido um gesto simbólico, mas mostrou o carregamento a 120 W do seu sistema. Abi Go, líder de marketing começou a conferência a dizer que a marca cimentou o segundo lugar mundial na indústria dos smartphones, mas destaca que é líder em 22 países, incluindo no mercado europeu.

A fabricante tem vindo a revelar nova tecnologia, salientando que pretende continuar a apostar na investigação, dando o exemplo do Mi Mix 4 com a sua câmara escondida no ecrã, ou o Mi 11 Ultra, que tem uma câmara poderosa. Mas hoje o foco é a série Xiaomi 11T, e a empresa pretende continuar a melhorar o legado do anterior Xiaomi 10T, com a introdução dos modelos standard e Pro do Xiaomi 11T.

Veja na galeria fotos da apresentação:

Em destaque está a tecnologia CineMagic, incentivando os criadores a produzirem filmagens de qualidade cinematográfica, a partir do próprio smartphone. Ambos os modelos foram criados de raiz para ajudar os produtores de conteúdos.

Os modelos oferecem três cores: cinzento meteoro (meteor gray), branco lunar (Moonlight White) e o azul celesteal (Celestial Blue). Os modelos têm cantos arredondados, revelando linhas suaves, conferindo-lhe um design premium. Continuando a mostrar o potencial da tecnologia CineMagic, o equipamento funciona com apenas um clique para ter acesso aos diversos efeitos. O objetivo da marca é simplificar ao máximo o processo de criação. O Magic Zoom utiliza um algoritmo capaz de seguir 30 frames ao pormenor, permitindo criar efeitos tais como o "mundo a fechar-se por trás da personagem". O Macroscope permite criar verdadeiras paisagens de cortar a respiração, mas utilizando elementos pequenos, como simples objetos banais do dia a dia, criando uma ilusão "épica".  Outra tecnologia é o Audio zoom, que utiliza dois microfones, para criar uma sensação de profundidade sonora.

Os dois modelos apresentam uma câmara grande angular de 108 MP, uma ultra angular de 120º e uma telemacro de 2X. A empresa destaca o Night Mode, capaz de captar fotografias com melhores cores em condições com menor iluminação. Além disso, as câmaras permitem gravar vídeo a 8K, incentivando os utilizadores a cortar partes da imagem, que ainda assim têm bom aspeto. Suporta ainda HDR10+, o que significa uma qualidade de imagem entre os melhores equipamentos do mercado. A Xiaomi promete que aquilo que a câmara captar é o que é mostrado no ecrã, graças ao hardware e algoritmos do novo smartphone.

Quanto ao processador, o Xiaomi 11T Pro está equipado com o processador Snapdragon 888 e a versão standard o MediaTek Dimensity 1200-Ultra, confirmando-se assim os rumores que circulavam.

Os modelos oferecem um ecrã AMOLED de 6,67 polegadas FHD, com uma taxa de refrescamento de 120 Hz. Suporta Além de HDR10+ TrueColor e Dolby Vision. Apresenta um brilho máximo de 1.000 nits e uma taxa de touch sample de 480 Hz, protegido por tecnologia Corning Gorilla Glass Victus, “testado para proteger quedas até dois metros”, diz a empresa. Tem ainda diversas certificações de proteção dos olhos.

Os smartphones têm dois altifalantes nas laterais, na parte traseira, colocadas de forma a não serem tapadas pelos dedos. A versão Pro tem ainda Dolby Vision e Dolby Atmos, elevando a qualidade do som. As colunas do modelo Pro foram afinadas pela harman/kardon, prometendo assim, juntamente com a tecnologia da Dolby, oferecer som detalhado em qualquer cena.

Voltando ao sistema de carregamento, a Xiaomi lança a pergunta "o que é carregamento rápido?" e a sua resposta é o sistema HyperCharge a 120 W, retomando a dica que deixou no início da apresentação. A bateria dos equipamentos será de 5.000 mAh, prometendo carregar 100% em 17 minutos. A empresa salienta que o carregador está disponível na caixa e permite carregar outros equipamentos da marca, como portáteis ou tablets. A Xiaomi diz que o smartphone pode ser carregado em ambientes de 10º Celcius negativos, para o caso de pensar levar o smartphone para a neve. Na lista de promessas estão 800 ciclos de carregamento da bateria, quando o normal é 500. Tem ainda um carregador turbo de 67 W igualmente na caixa, prometendo carregar 100% o smartphone em 36 minutos.

Relativamente a preços, o Xiaomi 11T Pro 8/256 GB chega às lojas por 699,99 euros e a versão 8/128 GB custa 649,99 euros. Já para as versões standard, os preços são de 599,99 euros e 449,99 com as respetivas configurações de memória e armazenamento interno. Os dois equipamentos podem ser adquiridos nos respetivos canais oficiais da Xiaomi. A Xiaomi já tinha confirmado que os modelos terão direito a três atualizações do sistema operativo Android, assim como quatro anos de atualizações de segurança.

Cheio de estilo: Xiaomi confirma o 11 Lite 5G NE

Além dos modelos standard e Pro, a Xiaomi revelou o novo Mi 11 Lite 5G, um modelo mais leve e elegante, direcionado a um público mais jovem, pois é também mais barato. O novo equipamento é o Xiaomi 11 Lite 5G NE, que mantém a mesma linha de pensamento. O equipamento mede 6,81 mm e tem 158 gramas, refere a empresa. Tem uma moldura de 1,88 mm na parte superior e lateral. Tem as três cores dos modelos anteriors -  Truffle Black, Bubblegum Blue e Peach Pink e uma nova cor: Snowflake White, que a empresa alude aos flocos de neve, ficando bem com qualquer roupa que escolha vestir.

Este modelo tem um ecrã AMOLED de 6,55 polegadas DotDisplay, suporta TrueColor de 10 bits e Dolby Vision. Tem uma câmara com uma lente principal de 64 MP, uma ultra grande angular de 8 MP e uma telemacro de 5 MP. Tem uma câmara frontal de selfie de 20 MP. Também utiliza elementos de IA e filtros de vídeo cinematográficos, e para quem gostar de partilhar nas redes sociais, conte com o novo modo Vlog. No interior tem um processador Snapdragon 778G 5G da Qualcomm e uma bateria de 4.250 mAh, suportado por carregamento rápido de 33 W. O modelo suporta dois SIMs 5G.

O modelo chega aos canais da Xiaomi por 429,99 euros, na versão 8 GB de RAM e 128 GB de armazenamento interno.

Xiaomi revela novo tablet Pad 5

O Xiaomi Pad 5 foi revelado pela marca, um tablet com um módulo de câmara com dois sensores. Tem cantos arredondados e foi construído para ser fino e leve, nas cores Cosmic Gray e Pearl White. O tablet tem um ecrã de 11 polegadas, com molduras finas, por isso o equipamento é pequeno e pode ser levado para qualquer lado. O seu ecrã tem uma taxa de refrescamento de 120 Hz e mais de mil milhões de cores, diz a marca. O equipamento tem desbloqueio por reconhecimento facial automático. E o ecrã suporta ecrã dividido, permitindo ver um vídeo e escrever em simultâneo, por exemplo. Para tirar notas, a Xiaomi tem uma nova Smart Pen.

O tablet permite escrever livremente com a nova pen, tirar notas rápidas, pode gravar ou mandar a um colega. Pode rodar o botão secundário da pen e selecionar áreas da imagem ou mesmo screenshots, podendo gravar ou enviar para outros utilizadores. A sua câmara frontal apresenta uma resolução de 1080p, ideal para reuniões virtuais. O tablet alimenta a pen magnética, quando esta está encostada ao equipamento.

A Xiaomi desafia ainda os jogadores a experimentarem jogar neste equipamento, graças à sua taxa de refrescamento, mas também ideal para ver filmes ou séries, tendo mesmo instalado de origem a aplicação da Netflix. Conte com tecnologia Dolby Vision, para salientar a experiência cinematográfica e vem acompanhada por um sistema de quatro altifalantes alimentado por Dolby Atmos. No interior tem um processador Snapdragon 860 da Qualcomm e uma bateria de 8.720 mAh.

Quanto a preços, o modelo de 6/128 custa 349 euros, ao passo que a versão com 6/256 GB chega às lojas por 399 euros.

A empresa revelou ainda o novo Mi smart Projector 2 com projeções até 120 polegadas até 1080p. Destaca-se por corrigir o alinhamento da imagem, mesmo que seja colocado torto em cima da mesa. Chega ao mercado por 599 euros. O Router Mesh Wi-Fi AX3000 foi confirmado para um lançamento a nível global, depois sair na China. Este apresenta um sistema 5G dual-band a 2,4 GHz com suporte a Wi-fi 6 para ajudar a transmitir em 4K. Tem 256 GB de memória e capacidade de banda larga de 160 MHz. O equipamento sai em packs de 2 e promete cobrir toda a área da casa, ligando 354 aparelhos. Custa 149 euros em conjunto de dois e 79 euros se precisar de um router extra.

Por fim, confirma-se a revelação da nova Mi Smart  Band 6 NFC, com Alexa embutido. Tem um ecrã OLED e diversas aplicações de fitness. Chega ao mercado por 54,90 euros.

Em palavras de conclusão, a empresa diz continuar a trabalhar na base da sustentabilidade, reduzindo os plásticos dos seus novos produtos em 80%. Ao mesmo tempo, procurou oferecer o máximo de tecnologia, pelo menor preço possível.

Em antevisão

Confirmados os modelos Xiaomi 11T e 11T Pro pela Xiaomig, na descrição do seu streaming, há algum tempo que correm rumores de algumas das suas especificações. Fala-se que a marca chinesa vai apostar no processador MediaTek Dimensity 1200 na versão base do smartphone. Ao passo que a versão Pro contará com poderoso Snapdragon 888 da Qualcomm. Ambos os modelos poderão ter um ecrã OLED, com uma taxa de atualização de 120 Hz.

Os modelos podem ter um módulo de câmara traseira com três sensores: um principal de 64 MP, uma lente grande-angular de 8 MP e um sensor telemacro com zoom até 3x. A versão Pro terá uma bateria de 5.000 mAh, com suporte a carregamento Hypercharge a 120 W, semelhante ao Mix 4.

Imagens partilhadas sugerem que os dois modelos podem ter um design baseado num punch-hole no ecrã para albergar a câmara frontal. E na traseira os três sensores fotográficos alinhados na vertical. Fala-se ainda de um sensor biométrico de impressões digitais alocado na lateral do equipamento.

Espera-se ainda três cores para ambos os modelos: azul celestial, cinzento meteoro e branco lunar. A Xiaomi já tinha confirmado que os modelos terão direito a três atualizações do sistema operativo Android, assim como quatro anos de atualizações de segurança.

Além dos smartphones, a Xiaomi poderá revelar ainda uma nova Smart TV, um modelo com um ecrã OLED de 55 polegadas. As dúvidas prendem-se entre ser realmente um novo modelo ou o relançamento de um produto já existente no mercado chinês. Espera-se ainda que a fabricante lance Router Mesh Wi-Fi AX3000 a nível global, depois do lançamento na China. Este apresenta um sistema 5G dual-band a 2,4 GHz com suporte a Wi-fi 6. Tem 256 GB de memória e capacidade de banda larga de 160 MHz.

Por fim, no capítulo de eventuais novidades, a Xiaomi poderá lançar a sua pulseira Band 6 NFC. Entre as funcionalidades tem o suporte de pagamentos através de NFC, um ecrã AMOLED de 1,56 polegadas, um sensor SpO2, sensor de ritmo cardíaco de 24 horas, entre outras novidades.

Nota de redação: Artigo atualizado com novas informações. Última atualização 14h32.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.