A aplicação TOP Files da empresa portuguesa TOP Research, incubada no Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, atingiu os 500 mil downloads cerca de dois meses depois de chegar à loja de aplicações da Apple e é líder em vários países.

A app criada por programadores portugueses permite gerir ficheiros entre computadores e dispositivos móveis através de tecnologia cloud. É possível visualizar documentos Office e PDF, mover conteúdos entre diferentes serviços de armazenamento na "nuvem" como o Google Drive e Dropbox, carregar ou descarregar ficheiros em segundo plano e abrir anexos .zip de emails.

A ideia surgiu dos problemas que Nelson Pereira e Miguel Jesus, cofundadores da TOP Research, enfrentaram enquanto estudantes do ensino superior. "Eu e muitos colegas tínhamos um problema: andávamos sempre com o PC portátil atrás, que é pesado, demora a ligar, ter acesso à Internet nem sempre é possível e parece que fica sempre sem bateria quando mais precisamos. Depois de alguma pesquisa, cheguei à conclusão que não estávamos sozinhos. Existem mais de 150 milhões de pessoas no mundo com o mesmo problema", revelou ao TeK Nelson Pereira, diretor executivo da empresa.

Nem mesmo com a chegada dos tablets o problema foi resolvido pois continuava a haver um défice na oferta de aplicações de produtividade viradas para o ambiente académico. Foi então que decidiram criar uma ferramenta própria e que no início deste ano entrou na App Store. A aplicação foi disponibilizada durante algum tempo de forma gratuita, o que contribuiu de forma significativa para o sucesso em fase de lançamento. Atualmente a aplicação tem um preço de 3,99 euros.

[caption]TOP Files[/caption]

Questionado sobre a possibilidade de o software para iOS continuar a crescer ao ritmo até agora registado, Nelson Pereira mostrou-se consciente da dificuldade que é manter uma média de 250 mil novos utilizadores mensais, sobretudo agora que a app é paga. “Seria faraónico e pouco provável”, acrescenta.

Mas as prespetivas matêm-se positivas – está previsto um crescimento mensal superior a 50% até ao final do ano. Para atingir este objetivo a TOP Research está a trabalhar num formato gratuito da aplicação mas que permita comprar funções mais avançadas dentro da app. Esta é a estratégia definida para tentar rentabilizar os milhares de downloads gratuitos que o software móvel pode vir a ter.

O mercado norte-americano é para já o mercado-alvo, pelo facto de ser o maior mercado global para as aplicações móveis. A Europa e a América Latina também estão nos planos da empresa nortenha mas só quando houver maturidade suficiente para atacar esses utilizadores com versões localizadas, estando prevista a chegada da suite em português, espanhol, francês e alemão.

Os downloads portugueses só representam 1% dos resultados globais, muito pelo facto de o mercado iOS em Portugal ser pequeno, como referiu o CEO. Mas no Brasil, outro país de lingua portuguesa, os utilizadores já são mais de 45 mil
O TOP Files faz parte de uma suite de produtividade que a empresa está a desenvolver e que é constituída por mais dois software móveis.

O TOP Writer, em fase final de desenvolvimento e com chegada prevista ao mercado em junho, é um processador de texto compatível com documentos Word do Office que permite uma gestão automática de bibliografia, introdução de notas de rodapé e citação simplificada de fontes enquanto o texto é redigido.

O TOP Presenter vai permitir criar uma apresentação digital em apenas alguns passos, transformando de forma automática os textos produzidos no Writer em slides com texto, e imagem caso também estejam incorporadas no documento de origem.

“A TOP Suite é primariamente direcionada para o mercado da educação, mas também tem funcionalidades que lhe permitirão ser um sucesso no mercado empresarial, proporcionando a desejada funcionalidade do iPad com o MS Office do PC”, concluiu Nelson Pereira.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.